terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Começando a pensar em 2010...


Seguinte.
Ano acabando e alguns textos são cruciais para uma reflexão bacana do ano que passou, e para o que vem chegando aí, novinho em folha...
Esse texto abaixo, li quando estava no Ensino Médio (já tem um tempo) e ele me marcou muito..
Aliás, continua marcando...
Indico.
:D
» Depois de algum tempo
 
“Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoa-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distancias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem da vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendermos que os amigos mudam, perceber que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas que você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa – por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pois pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nos somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa aonde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai, é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida”!



  Atribuído à WILLIAM SHAKESPEARE

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Cartinha para Papai Noel

Eu estava dormindo até agorinha, mas como me acordaram com uma ligação e essa me fez pensar na minha vida, resolvi escrever uma cartinha para Papai Noel. (Tomara que no Pólo Norte tenha internet!)
Querido Papai Noel,
esse ano não posso afirmar com todas as letras que fui uma boa menina, porque acho que não fui.
Chorei demais. E acredito que, em anos onde as lágrimas tomam conta do sorriso, não são anos bons. Já posso fazer meu primeiro pedido: sorrir sempre em 2010.
O ano de 2009 foi um misto de alegria até julho, uns três meses de desgraça total e para finalizar, as coisas começaram a dar certo.
Nesse ano eu amei. Ah! E como amei Papai Noel. Me entreguei de corpo, alma e coração por esse amor. Acho que só eu mesmo. Não sei explicitar o que aconteceu, se bem que eu até que sei, mas é chato falar essas coisas por carta. Acabou oficialmente há três meses, mas meu coraçãozinho ainda dói muito e (já vem o segundo pedido) eu queria pedir a cura para isso. Muitos dizem que só o tempo cura, mas eita tempo demorado esse.. Jesus!
Voltando ao ser ou não ser uma boa menina. Eu orei muito e creio que isso contabiliza uns pontos positivos. Pedi muito para Deus e Nossa Senhora me mostrarem o caminho certo a seguir e quem as pessoas realmente são, sejam amigos, colegas, namorado.. enfim, todos que conviviam ao meu lado. E sabe quem ficou só para variar e eu sempre soube disso?
_Minha família. Meus pais e irmãos que sempre estiveram e estarão do meu lado.
Papai Noel, como amo minha família! E hoje sei, que com eles eu posso ter qualquer sonho que mesmo não concordando, eles me apoiarão e me amarão do jeitinho que sou. Nós somos UM. (E como sinto a falta deles nesse momento.) Acho que esse pode ser o terceiro pedido: minha família perto e juntinha de novo...
Eu nunca vou esquecer de 2009, até porque não gosto de ano terminado em número ímpar. Fiz coisas que vão me marcar pelo resto da vida e que me atormentam toda noite. Tenho pesadelos e me arrependo tanto. Tudo seria diferente e tenho plena certeza disso...

Então velhinho, daí no segundo semestre meu mundo caiu (quase como o da Maysa)..
Fiquei sem chão, sem expectativas, sem amor próprio, desiludida com as pessoas e as coisas..Perdi a vontade de viver e toda aquela força e segurança era fachada, pois eu estava em frangalhos, pronta para fechar as cortinas e dizer Bon Voyage Mom Petit...
Mas Deus é tão bom que me injetou doses de ânimo me trazendo notícias boas. A partir dessas 'boas novas' esqueci meu mundo Maysa e tentei levar meus planos adiante, sabe aqueles projetos que a gente acaba deixando de lado e quando leva um susto já se passaram alguns anos e NADA aconteceu? Pois é. Eles me fizeram esquecer do acontecimentos e estou focada neles. Esse poderia ser o quarto pedido: concretizar meus projetos.
Enfim.. Papai Noel. Eu poderia ter terminado o ano de outro jeito e com outras pessoas na minha vida. Mas como eu acabei de dizer ao telefone, para uma pessoa, cada um faz suas escolhas, eu escolhi viver a 'Poliana' e seus sonhos. Passei no Mestrado, trabalho no que gosto e tenho uma família linda e acredito que os tenho orgulhado muito por serem meus pais, porque esse é o único propósito que tenho na vida em gratidão ao que eles me proporcionaram nesses 24 anos de existência da Poliana Macedo de Sousa e claro, por mais uns 100 anos!
Posso me expor com essas palavras? Creio que não.
É apenas uma cartinha de uma boa menina (ou não) que acredita em Papai Noel e na magia de existir.

Feliz Natal!
E que 2010 seja repleto de sorrisos para todos!

p.s: pedido de última hora: dá uma forcinha para que eu ganhe na Mega-Sena da virada! :D

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Deu Certo!

Saiu o resultado!
Vejam só que M-A-R-A-V-I-L-H-A..
Felicidade é pouco!
Estou explodindo de alegria!
Mãe..
Pai..
Estou chegando lá!


 

Yes, I can!
Feliz! Feliz! Feliz!
\o/\o/\o/\o/\o/

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Tudo novo de novo


Então. Sumi, não é mesmo?
Estou com uma vida novinha em folha. Muitas expectativas e sonhos.
Me adaptando com os novos horários e compromissos que a redação do Jornal me exige.
Sim! Agora sou  jornalista de verdade! Trabalho em redação de jornal impresso! U-ru! \o/
Algumas coisas que aconteceram e eu quis tanto escrever aqui, mas o cansaço mental e a falta de tempo não me permitiram:
Tirei 9.9 na monografia da especialização.
Meu mexicamdress chegou e é lindo! (um dia posto uma fotinha minha com ele)
Todo mundo está indo embora e eu ficando só.
Fiz um processo seletivo para Mestrado na UFT, só que o resultado é dia 16 de dezembro, mas não estou muito empolgada.
Semaninha foi puxaaaaaada!
As 'coisas' estão acontecendo e está tudo ótimo.
Mudei de emprego.
Mudei a cor do cabelo.
Comprei roupas novas.
E injetei ânimo e destreza em minha vida.
Não esperei o ano acabar para apertar o 'reset' na minha vida.
Nessa semana que passou decidi que a vida profissional estará em primeiro plano por pelo menos uns 5 anos. Chega de envolvimentos amoros.
Só atrasam.
Posso me arrepender? Sim ou Não.
Depende muito.
O que importa é que estou feliz com a decisão que tomei.
Férias só em 2011, se bem que nem sei o que é sentir falta disso, pois nunca as tive. Enfim..
Vida nova.
Emprego Novo.
A Poliana de sempre!
\o/

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Consciência de quê?



Hoje, 20 de novembro, comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra. Mas, consciência de que ainda existe preconceito contra NÓS: negros? Agora vem o povo do 'deixa disso' e expressam que não existe preconceito racial no Brasil: gente, existe sim! E nem é velado! É sim, escancarado!
Não quero fazer embasamentos teóricos, e sim, dizer o que penso com relação a determinadas coisas relacionadas a esse dia.
Pequenas atitudes, seja de uma pessoa branca, amarela, rosa ou negra (isso, negros também são preconceituosos) já denotam a 'repugnância' por uma pessoa negra e muitas vezes acontece sem a gente perceber. Somos preconceituosos. Seja com pessoas ou elementos que identifiquem a cultura negra e eu, juro, que não sei por quê. Algumas coisas que me deixam P. da vida quando se discute a 'identidade negra'
Primeiro: CABELO.
Eu tenho escova progressiva e daí? Acho que fica mais bonito em mim e pronto. Minha irmã adora os seus cachos e é feliz com isso. Agora não dá para escutar uma professora da minha especialização dizer que eu estou no processo de 'braqueamento' porque uso o cabelo liso! Que estou 'renegando' minha identidade. Ora bolas, creio que identidade não tem nada com meu cabelo. Cabelo é cabelo. Na verdade, como diz uma amigo meu é moldura do rosto. Meus traços de negritude estão comigo e pronto: cor, genética seja o que for. Eu sou negra e uso meu cabelo liso. (Eu quase bati nela naquele dia.. juro para vocês)
Segundo: ESCOLHAS
De quem você desconfia primeiro? E isso vale para todas as situações onde há crime ou perigo no meio. Você está andando na rua e vem um negro e um branco na sua direção. De quem desconfiará?
E outra, na balada, os negros sempre se dão mal. Porquê a pessoa que todas 'querem' é o rapaz branco de cabelo preto ou a moça branca de cabelo claro? Percebo que todos nem olham para os negros, simplesmente se afastam.
Não sei se é a mídia que projetou, aliás, projeta 'modelos' de homens e mulheres perfeitos ou é nossa educação que tem falhado (e muito) na construção da imagem que o negro tem na sociedade.
Crianças são as mais suscetíveis a serem preconceituosas. Aff. E como não mentem, dai já viu..
Aconteceu um episódio comigo com um 'serzinho' desse: ele não queria ficar comigo enquanto a mãe dele ia pegar 'não sei o quê', porque como ele disse: "mas ela não é preta mamãe? não pode, né?'
Foi muito chato. Foi terrível. Enfim. Já faz muito tempo.
Terceiro: ESCOLA
Se você ainda estuda (escola ou universidade) e olhar um segundo ao redor para seus colegas de classe verá que a porcetagem de negros em sala é MUITO pequena. Na minha turma de Jornalismo éramos 5 negros em uma turma de 45 pessoas. E ainda tem gente que é contra as cotas para negros. É dificil ser negro nesse país, viu...
Historicamente, todos nós sabemos que os negros foram menos favorecidos tanto em empregos quanto em educação.  Precisamos de politicas públicas QUE FUNCIONEM de fato para a inclusão do negro na sociedade. Ou pelo menos que a cultura negra seja reconhecida e ensinada nas escolas. Vamos educar nossas crianças!  Estamos caminhando aos poucos, mas falta muito para alcançarmos uma sociedade igualitária. O Brasil é tão colorido que nem o negro, nem o branco e nem o amarelo são predominantes na Terra de Vera Cruz. Somos híbridos! Uma mistura que não tem como explicar, apenas viver. E se fosse com o mínimo de respeito para com as pessoas de todas as cores seria muito melhor. Não é mesmo?

Versão Brasileira

Ahh minhas tardes na casa de meus pais assistindo 'Sessão da Tarde' ao som de "Versão brasileira: Herbert Richers". Quantas lembranças boas! Quantos filmes bons (outros ruins)!
Cresci escutando as versões de Herbert Richers. E não esquecerei de quando tentava pronunciar o sobrenome, pois saia de tudo, menos o Richers. Era muito divertido.
Enfim. O tempo passa e as pessoas tem que ir.
Ele se foi.
Mas seu legado continua!
:D
p.s: Adoro essa palavra 'legado'. É chique demais!

Saiba mais sobre sua vida aqui.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

2 anos!



Pessoa desnaturada! Sim, sou eu mesmo!
No dia 05 de Novembro o "Várias Anas" completou 2 aninhos de existência.
Levando aos internautas minhas indignações, bobagens, amores, descobertas e 'achismos'.
Sou muito feliz por ter esse espaço e ter pessoas que com um simples comentário me ajudam a ganhar o dia e querer viver mais e mais!
Obrigada pelos diversos amigos que conquistei por meio do 'Várias Anas', os amigos que me acompanham de outros estados e de fora do país também (estou chique gente). Muito obrigada mesmo!
Inté.
:D

Adotei uma Criança


Bom. Não é 'adotar' literalmente.
Final de ano e o espírito natalino chega no coração de cada um (em alguns mais, em outros menos e em uma grande parte nem faz cosquinha). Enfim, o meu ato de adoção é para me sentir útil pelo menos alguma vez nessa vida (aliás, isso será uma das coisas que farei no próximo ano, ser útil por meio do voluntariado). O meu afilhado se chama Leandro, tem 12 anos e mora no bairro Aureny III, aqui em Palmas. Ele e mais uma gama de crianças residem na Casa de Abrigo Raio de Sol. A instituição promove atendimento às crianças e aos adolescentes em situação de risco pessoal e social. O local abriga aproximadamente 25 crianças de até 12 anos, encaminhados pelo Poder Judiciário. As crianças têm uma rotina: frequentam a escola e participam de outras atividades socioeducativas sendo que ficam na Casa até que seja resolvida a situação de cada uma delas.
Minha colega 'dos tempos' de faculdade me enviou um email e aquilo tocou meu coraçãozinho-mole-de-manteiga-derretida e pronto: adotei o menino!
O presente faz parte do projeto 'Sacolinha de Natal' na qual deve ter 01 conjunto de Roupa, 01 par de Calçados, 01 brinquedo e 01 kit de higiene pessoal (e tudo novinho).
O pessoal que está à frente do projeto me convidou para participar da festinha de entrega das sacolinhas, mas ainda não sei se vou. Não quero que ele fique sem graça por ter que depender de uma pessoa (que não é da sua família) para ganhar um presente de Natal. Ou pode ficar contente em receber um presente da 'Tia Poli'. Estou nesse dilema. Não quero ficar aparecendo por causa dessa atitude, do tipo: 'eu sou legal', até porque as pessoas comentam (ohhh mundo que tem gente maldosa): 'olha ela lá ajudando' ou 'só quer aparecer'. Acho engraçado que falam mas não ajudam, podiam fazer pelo menos o mesmo. E quem disse que tudo é perfeito nesse mundo, não é mesmo?
Bom. Uma certeza eu tenho: se for, vai ser muito emocionante ver meu afilhado (que nem conheço) feliz e sorridente com um presentão de Natal by 'Tia Poli'!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Tudo pode mudar

"E no balanço das horas tudo pode mudar..."
Musiquinha dos anos 80 interpretada pela banda Metrô.
Não vim falar da famosa sexta-feira 13. E muito menos da banda Metrô.
Quero apenas refletir. Minha vida pode mudar nos próximos 7 dias. Posso não está mais aqui, nessa cidade, assim como posso ficar, e também nem posso ter as minhas estimadas férias.
Pode acontecer tanta coisa que eu não quero pensar nessas 'coisas'...
Quero mudar e 'começar de novo'.
Tive muitas decepções nesta última semana e nada mais me importa.
Bem, quando digo nada mais, é com relação homem-mulher.
Simplesmente não dá para acreditar.
E começo a desconfiar que o 'amor' não existe.
Enfim. Hoje senti falta. Mas quero ser forte.
É que está acontecendo tanta coisa e queria tanto ajuda, mas não posso confiar mais.
Sexta-feira 13. Enfim, alguns dizem que é um bom dia e outros tem pavor.
Para mim não tem efeito nenhum. É um dia comum.
Está bem confuso esse texto, não é?
Eu também estou assim...
Perdida e sem nexo.
Mais vai passar.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Trair.

Penso que quando se é traído, de qualquer forma e por qualquer pessoa, nem a minha amizade este ser merece ter. Trair é algo tão inpuro, nojento, repugnante e desreipeitoso. Dá vontade de fazer tanta coisa como: pixar muro da casa do cidadão, destruir o que ele mais gosta, arruinar todos seus planos e (sei que é extremo) até matar.
Já fui traída por amigas (que no final percebi que não eram) e essa última modalidade que contarei agora nunca tinha acontecido, até porque as pessoas me respeitavam...
Quando a traição vem de um pessoa que com quem você se relacionava e construía um futuro, planos e sonhos, o baque e a decepção são maiores. Eu, particularmente, fiquei triste comigo, pois tanta dedicação e carinho não mereciam nem o mínimo de respeito?
Até pensei em não escrever no blog sobre isso, mas sim, fui traída.
E pior, por uma pessoa que eu pensava que gostasse de mim e em quem eu confiava.
Ele não respeitou meus sentimentos, nem isso foi capaz.
Essa pessoa, que COM CERTEZA nunca mais irá cruzar o meu caminho, me magoou muito com essa atitude. Perdi tempo. Precioso tempo convivendo com ele e me dedicando a um possível amor? Só sei que não desejo nada de bom para ele, aliás, eu não desejo NADA. Que nada mesmo aconteça na sua vida, nem de bom e nem de ruim: ele não merece!
Eu não cultivo amizades com quem me trai. Isso é me rebaixar e deixar espaço para que essa pessoa faça tudo de novo. Estou chateada, decepcionada e com ódio!
Porque um velho ditado sempre veem a minha cabeça quando esse tipo de coisa acontece:
Quando eu sou boa, sou muito boa mesmo, mas quando eu sou ruim, sou ótima!
Não faço a minima questão da amizade dele.
Porque até para ser amigo ter que existir lealdade e confiança!
E cest'fini!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

3 da manhã

Não sei se é o cansaço ou estou ficando doida mesmo, mas desde o feriado, todos os dias acordo por volta das 3 da manhã.

Seja por causa da minha gata que quer entrar no quarto ou simplesmente, 'sozinha'. E perco o sono com uma facilidade.
Será que é cansaço?
Desgaste emocional? (falei difícil, hein?)
Lendo por aí sobre sono e insônia, creio que (dando uma de médica especialista no assunto) é puro cansaço. Ohh Jesus! E minhas férias só daqui a 76 dias! Mas pelo menos, teremos um recesso de 14 dias para as festas de final de ano, as quais niguém consegue descansar, pois como o próprio nome já induz: são FESTAS. Recalculando, eu tenho uns 43 dias pela frente até esses belos dias de 'descanço'.
Enfim, sobre a insônia li que ela não é considerada doença, mas sim a consequência de algum problema ou enfermidade grave. Onde são divididas em 'situacionais' (depressão, traumas psicológicos entre outros) e a do tipo que a galera que 'troca de turno' têm.
Aqui vão algumas dicas para dormir bem e que realmente funcionam (pelo menos quando eu as cumpro):
1 - Leite morno! Tiro e queda (na cama)!
2 - Exercicios fisicos! Gente é bom demais, correr na praça, tomar aquele banho, comer algo leve, tomar um leitinho e 'tchbum' na cama!
3 - Banho quente! Eu adoro..

4 - Posição na cama: se acordar no meio da noite, mude de posição. Diz o povo que isso ajuda!

Agora, algumas coisas 'do mal' e que realmente NÃO contribuem para um bom sono:
1 - Bebida alcóolica não combina com um bom sono; Aquela velha história de tomar uma cervejinha para dormir melhor é um ledo engano.
2 - Televisão? Pior ainda! Tira a danada do seu quarto imediatamente!
3 - Cigarro? Irmão gêmeo da bebida alccólica. Mesma coisa...
4 - Medicamentos? Coisa de filme americano. :P


Não sei e não tenho a miníma ideia do que seja essa minha falta de sono.
Sei que preciso dormir e dormir...
Essa é a única coisa que meu corpo pede.


Fonte: http://www.santalucia.com.br/neurologia/insonia.htm

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Brasil puritano.


Cheguei!
Viajei por quase 10 dias (direto) e eis-me aqui de novo.
Sei que o assunto já passou, mas eu quero falar sobre isso: o nosso Brasil puritano.
Como o bafafá aconteceu enquanto eu estava OFF, necessito me expressar sobre o caso do vestido da universitária.
Muito me admira esse puritanismo todo em nosso país e essa atitude ridícula e machista que presenciamos pela internet, TV entre outros meios de comunicação.
Será que ninguém vê que nos carnavais da vida as mulheres vão de shortinhos? E as mini-saias? Que são mais antigas que minha avó ou quase da mesma idade. E as mulheres fruta?
Foi ridículo e imoral a atitude desses alunos da universidade.
Que cidadãos são esses? Que ensinamentos os pais lhes repasaram?
São tantas questões por trás desse episódio que confundem a mente de qualquer um.
Eis aqui um link com alguns comentários sobre esse episódio. Peguei-os da Revista Marie Clare (a qual sou assinante) e gostei muito!
Leiam! Compensa (e muito)!
Inté breve!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Sem ar


Hoje estou sem braços e pernas.
Meu mundo desmoronou...
E parece que não tem como consertar.
Os sonhos e planos não serão os mesmos
e nem o entardecer terá a mesma cor, nem aquela mesma sensação de ansiedade
por seu carinho.
Vazio.
Falta-me o ar.
Dor no peito.
Nó na garganta.
A lágrima que teima em cair.
Saudade do nosso amor.
Tudo muda agora.
Reconstruir os sonhos:
Sozinha.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Quero viver um grande amor


Domingo terminei de ler um livro e nele, o narrador expõe o relacionamento entre homem e mulher de uma maneira tão simples. O livro não era sobre isso, mas nos conselhos que dava ao seu filho, essa temática sempre era tocada. Exemplo: se teu namorado de ‘séculos’ termina com você, para ele, vai doer e vai passar.
É muita racionalidade para meu ser. Só que no decorrer do livro eu acho que ele não percebe (pelo menos foi o que eu percebi) que fica remoendo esses amores não vividos. Lembra, porém é conformado com o que ele vive hoje.
Eu não sou conformada! Se eu amo uma pessoa, luto para ficar com ela.
Acho que isso que dá o sabor dos ‘grandes amores’.
As provações, as discussões, a cumplicidade, os planos, os medos e os sonhos.
Eu quero viver um grande amor e poder ficar velhinha sabendo que o vivi. Não quero remoer (futuramente) que não pude ficar com a pessoa que amava por motivo X ou Y, ou seja, orgulho besta mesmo. Deve ser ruim o fato de você estar velhinha e se lembrar (porque as mulheres sempre lembram) de amores que deixaram marcas profundas. Por mais que ela veja sua família ali: completa, ela sente que falta algo.
Acho que vou ser escritora (opss.. já sou blogueira e isso ajuda) e quem sabe eu exorcize meus medos por meio de páginas. É que são umas imagens loucas que parecem ser uma previsão do futuro, que em algum momento alegram, em outros, matam.
Contudo, recomendo o livro: O Clube do Filme – David Gilmore.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Para Chorar de Rir

Eu, sinceramente, não esperava por nada do que aconteceu nesse final de semana e foi tudo muito bom.
Comédia em Pé em Palmas! Para rir sentado, claro! (Peguei o espírito da coisa..rsrsrsrs)
Foi TUDO-DE-BOM... Tanto que fui na sexta-feira e no domingo (de novo) com o Vinicius! Detalhe: no domingo carreguei mais 3 amigos! Falei tanto que tinha sido tão bom que eles se empolgaram e foram..
Tudo aconteceu mais ou menos assim:
Eu e Vinicius (meu namorado) estavamos assistindo TV quando passou a propaganda sobre o espetáculo "Comédia em Pé". Ele perguntou se eu queria ir, eu disse que até queria, mas estava sem grana. Como um lindo-maravilhoso-gentil-cavalheiro que é, disse que compraria para mim e depois eu pagava. O mundo moderno é assim mesmo...
Ele estava na univerdade. E eu, trabalhando.
Abri meu blog para visitar os outros blogs que acompanho e me deparo com um comentário da Christina (dona do blog Curiosa Identidade). Li. Não acreditei. Li de novo. Pensei. Li mais uma vez e respondi por email. A Chris (já sou íntima..rsrsrs) é esposa do Paulo Carvalho e amissíssima do pessoal do Comédia em Pé.
Do que gostei de cada um:
Paulo - ao falar do atendimento dos médicos: "Desculpa algum médico que esteja presente, mas ... FODA-SE";
Claúdio - atendimento no check-in: "a moça me pergunta 'qual é o seu destino?' - sei lá, levar alegria para o povo, pode ser?"
Léo - quando professor vai perguntar algo para o aluno: "preciso de um aluno voluntário para responder essa pergunta, se ninguém se manifestar eu vou escolher um... pensamento do aluno: não deixa ela olhar para você! Desviaaaaaaa o olho dela.. é a medusa!
Fernando - quando falou do sotaque de mineiro, se o Pernalonga era algum secretário de Governo, pois o Gaguim era o Governador (ótima) e que o teatro Fernanda Montenegro parece um cenário do Titanic "daqui a pouco cai um garçom rolando dai de cima"
Fábio - quando falou de quando foi no Acre "gente, tem gente no Acre sim, são 15 pessoas, todas arrumadinhas. Mentira, na verdade são 12 todas fofinhas" e a torre de controle do aeroporto " acho que eles ficam em uma árvore e gritam: tá chegandooooooooooooooo e é da Tammmmmmmmmmmm"

No começo, fiquei com medo de ir conversar com eles, mas ela me motivou. Tanto é que, na sexta, cheguei no teatro quase 1 horas antes e sentei na frente.
Vinicius disse que "essas coisas só acontecem comigo"..
Não tenho culpa se gosto de conhecer 'gente'.. ^^
Assistimos! Aff. O que foi aquilo. Eu ri tanto que chorei. Ás vezes batia a cabeça no joelho no espectador da fileira de cima. Eu não me controlo. Liberei tanta endorfina para o meu corpo que saí com cara de felicidade. Aliás, o teatro inteiro comentando.
Terminado o espetáculo fiquei naquela dúvida: vou ou não vou, eis a questão?
Não tinha niguém da produção por lá para que eu conversasse e pedisse uns míseros segundos só para dizer 'oi'. Nesse belo instante aparece uma menina da produção e eu toda educadinha e com voz de medo de receber um 'NÃO, NÃO PODE QUERIDA', perguntei se poderia conversar com eles no camarim e e la disse que sim. Ohhh.. foi uma vitória.
Vinicius estava todo empolgado também! Subimos as escadas que davam acesso ao camarim. Eu, com as pernas tremendo e com pensamentos do tipo: "eita, será que são legais?", "e se barrarem a gente?" ou "vamos voltar".
Meti meu rostinho no camarim e vi o Fernando Caruso sentado no sofá folheando uma revista, então perguntei: _Oi (com cara de bocó). O Paulo tá ai?
Parêntesis: Depois do episódio me perguntei porque eu só perguntei pelo Paulo, podia chegar "Oi tudo bem e tal", acho que me senti 'próxima' do Paulo por causa da Christina.
Desse momento em diante foi só flash! Foto para cá e para lá! Conversei com o Paulo sobre a Christina e como nos conhecemos e perguntei até da novela. Falei com todos. Ixi! Eles são tão simples! Gente normal! :D
Saímos de lá em êxtase! Felizes, porque assistimos e conhecemos pessoas que nos trouxeram um sentimento bom. E tudo isso por causa da Chris e o seu incentivo.
E no sábado, eu nem ia acessar meu blog.
Vinicius liga: _Poli, você viu teu blog hoje?
Eu:_Não. Por quê?
Ele: Tem um comentário lá. Olha ai.
Ele em vez de falar o que era me fez pegar o notebook, conectar a internet e abrir o blog. Homem dificulta, né?
Para minha surpresa tinha um comentário do Paulo nos convidando para assistir de novo a peça. Liguei para ele e aproveitei para mandar uma lembraçinha para a Christina (espero que ela goste).
No domingo, eu e Vinicius já tinhamos espalhado para nossos amigos o quanto tinha sido bom o espetáculo da sexta. Todos ficaram curiosos e compraram ingresso para ir. Não deu outra: na fila do gargarejo eu, Vinicius e mais três amigos.
Riram tanto que eu pensei que teriam um ataque de coração.
Esse final de semana foi muito especial, pois conheci pessoas maravilhosas. Claro, que tudo isso por causa da Chris e dos blogs nossos de cada dia!
Ahh.. comprei um adesivo para o meu carrinho, uma squeeze (é lindinha) e ganhei até presente! O DVD do Comédia em Pé! Sessão extra lá em casa, pessoal!
Foi tudo muito BOM!

Obs: Um observação quanto à produção local, isso não tem nada a ver com o espetáculo, que fique bem claro, se o espetáculo começa às 21h, o certo seria abrir um pouquinho antes, ou não?
Corredor quente para $%¨&*... Só isso.

As fotos!




quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Miss Imperfeita

Texto de Martha Medeiros - Jornalista e escritora
Foto: Links Produções


Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação!
E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic.
Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.
E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.
Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.
Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor
Três dias.
Cinco dias!
Tempo para uma massagem.
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.
Voltar a estudar.
Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M..A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante'


Duas Caras


Como tem gente duas caras nesse mundo! Jesus-me-guincha!
Ultimamente percebi como tem gente que 'parece' ser legal, mas é um poço de ignorância.
No meu ofício, tem uma que diz ser servidora do 'nosso-senhor-jesus-cristo-amém' e vive 'xingando' pelos cantos, outra que se mostra 'sou super do bem' daí vira e mexe vem falando mal dos colegas. Vou te dizer, desencanto-me com as pessoas a cada dia!
Niguém sabe quem é quem.
Todo mundo vive disfarçando sua verdadeira essência.
Se você é mal humorado de natureza: SEJA.
Se você é lerdo e demora resolver as coisas: SEJA
Se você é agitado: SEJA
Daqui uns dias todos nós somos robozinhos padronizados com o mesmo sentimento e atitude perante as circunstâncias da vida, sejam elas no trabalho como em casa. Sei lá, creio que as pessoas deveriam sair desse mundinho cinzento onde todos querem ser iguais e colocar uma corzinha em sua vida.
Vamos ser diferentes e autênticos!
Please!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Final de Novela

Eu, particularmente, não gostei do final da novela "Caminho das Índias". Nem parecia final!
Tudo meio bagunçado. Sei lá! Estranho mesmo. Aquela cena da Maya passar de viúva largada na beira do Ganges, em um efeito especial by Bollywood, e virar uma indiana toda ornamentada com o sári mais lindo de todos, foi o cúmulo! Poxa. Foi frustante e sem lógica.
Sem contar que nenhum vilãozinho foi punido. Pelo menos em novelas isso deveria acontecer.
Bom. Novela é algo engraçado no cotidiano do brasileiro, a gente sofre, ri e tudo mais. Daí, um belo dia acaba e aquele pessoal todo que fazia parte das rodas de conversa e dos comentários nas filas do banco, na porta de casa, na caminhada, simplesmente somem!
Hoje, começa mais uma. É mais gente para entrar na nossa vida e preencher o horário da noite até o momento de ir dormir. Deve ser boa, pois Manuel Carlos entende de mulher!
Resumindo, sou 'noveleira'! Estou sofrendo com o romance (vai e não vai) da Santinha com o Filho do Demo em Paraíso e agora vem mais uma. Aguenta coração! :D

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Vermelho


Vestiu o sobretudo preto e deixou soltos os cabelos negros de forma que escondessem metade do seu rosto. Passou um batom vermelho, daqueles que nenhuma moça de interior ousaria experimentar nem escondida no banheiro. Usou esse batom para combinar com o seu scarpin de veludo salto 15. Tinha que disfarçar sua verdadeira identidade.
Chegou no local um pouco desconfiada, mas tinha que fazer isso.
_Boa Noite. Posse lhe ajudar?
_Procuro o Senhor Silvio.
_Sou eu, pois não?
_O Marcos conversou contigo por telefone?
_Humm.Você é a moça do telefone.
_Isso. E, você tem o produto?
_Tenho sim.
_Certo.
_Fica R$ 2.000,00.
_Certo.
_Você quer levar agora?
_Onde eu pego? Pode ser aqui mesmo?
_Não.
Ambos olharam para os lados verificando se alguém os observavam.
Ninguém.
_Certo.
_Me encontre no pub da esquina.
_Certo. Sentarei próximo ao bar.
_Você trouxe o dinheiro todo?
_Sim. E você vai demorar para levar?
_Só 10 minutos.
_ Certo.
"Certo" era a única palavra que conseguia proferir. Aquilo era ilegal.
E ela, nunca imaginara fazer esse tipo de coisa. Não foi criada para isso.
Chegou no pub e sentou no local combinado.
Pegou o envelope e selou com sua saliva.
Tinha que disfarçar. Então, pediu uma bebida, mas tinha que ser bem forte. Pediu wisk 18 anos.
Aquilo tudo era muito novo para ela.
O garçom colocou o pedido dela no balcão e mal tocou no copo, o senhor apareceu com o produto.
Pegou novamente o envelope e percebeu que o tinha manchado com seu batom.
Não se importou. Entregou o envelope com a quantia e ao mesmo tempo recebeu o produto.
Pegou-o nas mãos, ligou para Marcos e sentiu algo estranho: um gosto amargo na boca, gosto de novidade, gosto de ilegalidade, enfim, era uma mafiosa.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Michael em HQ's

Pois é. Para entender alguma história complicada nada melhor do que simplifica-la em quadrinhos. O portal G1 fez isso com a morte do astro mega super rei do pop Michael Jackson. Olha aí, é só clicar na figura:

Foi bom que eu pude entender direitinho o que aconteceu. Super didático!
Bom, mas quem disse que só o MJ teve a sorte de ter seus minutos finais relatados em HQ? Aqui no Tocantins, um ex-governador teve a ideia de 'mandar' (aliás, esse verbo devia ser o favorito dele) escrever nossa história em quadrinhos e distribuir nas escolas. Nada contra.
Ficou até bom. E creio que todos que leram a HQ aprenderam mais sobre o nosso Estado.
Uma pena que não encontrei imagem desse livro-HQ para ilustrar para vocês, mas que ele existe, existe sim, bem guardado e escondido nas bibliotecas espalhadas pelo Tocantins, pois foi motivo de muita discussão entre a classe de professores, politicos e afins já que o então governador foi ilustrado como o Jesus Cristo do cerrado que veio salvar os pobres do norte goiano. Ai ai.. êhh Tocantins.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Twitter X Blog


Já é fato.
O Twitter está afetando os blogs!
Em vários blogs que eu sigo seus proprietários inventaram de ter o passarinho azul. Resultado?
Os posts minguaram. Eles estão 'esquecendo' de dizer coisas bacanas e com embasamento, para colocar alguma ideia (rápidão) no Twitter. Reflexão sobre um assunto? Necas!
Fico triste.
Gosto de ler as ideias desse pessoal, mas o Twitter conseguiu condicioná-los...
Daí, vem o povo que diz que tem 'ideia, reflexão e pensamento' na coisinha lá.
Pode até ter, mas 140 caracteres não me seduziram para expressar ao mundo o que eu sinto. E creio que nem dá!
Eu sou anti-Twitter MESMO!
Humm..
Então é isso!

Que comece Setembro e mais calor em Palmas!

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Mais uma vez.

Vou tentar.
Se der certo eu conto, se não, não conto.
Simples assim.
Sofri demais ano passado e sonhei demais com a possível aprovação.
E não passei.
Agora é tentar.
E será a primeira vez nessa instituição. Seja o que Deus quiser!
Inté!
(rimou)
rsrsrsrs

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Diário de Bordo: Piraquê

Depois de três meses (mais ou menos) eu viajei de novo.
Bom, foi interessante. Um programa novo aqui no meu trabalho que promove um dia de 'saúde e beleza' para a mulher do campo. Coisa bem eleitoreira mesmo, não vou mentir.
Mas o que me impressionou mesmo foi a chuva que caiu na região norte do Tocantins!
O que era aquilo???
Não enxergavarmos nada. Era água. E para deixar mais encabulada: em AGOSTO.
Um calor dos infernos está nesse Estado, e em Palmas, nem o diga!
A chuva foi provindencial em Piraquê, pois a temperatura baixou um pouco e pudemos trabalhar ao ar livre com as crianças, as mulheres, homens, papagaios, cachorros entre outros. Eita, trabalhão! Foi um final de semana daqueles de perder uns 3kg, pois não almocei. :P Não foi frescura: não tive tempo mesmo.
Enfim, trabalho é bom e 'diária' melhor ainda.
Sobre a chuva, aqui em Palmas só 'ensaiou': ficou nublado, ventou um pouquinho e nada de chuva. Espero que o tempo melhore.
E espero viajar mais! Porque posso até voltar 'só o resto', mas adoro trabalhar com gente de verdade e não ficar entocada dentro de uma sala na frente de um computador, como passei muito tempo...

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

"Todo dia ela faz tudo sempre igual"

Toca o alarme.
Só mais 10 minutos.
Ligar TV.
Escutar o jornal.
Escovar os dentes.
Tomar banho.
Pegar a roupa previamente separada na noite anterior.
Protetor Solar.
Mais protetor solar.
Vestir a roupa e pentear o cabelo.
Hoje é só batom.
Café .. ops, não posso.
Só o cuscuz com manteiga.
Delícia.
Olha a hora.
Pega a chave.
Chama a irmã atrasada (como sempre).
Liga o carro.
Rua.
Carros.
Setas.
Velocidade (U-ru!).
Calma..
Sinal vermelho.
Espera.
Espera.
Espera.
Passa logo, pedestre.
Sinal verde.
Rua.
Carros.
Ônibus.
Motos.
Setas.
Sol no rosto.
Calor.
Vento.
Estacionar na sombra.
Passar o cartão de ponto.
Pegar os jornais do dia.
Abrir a porta da sala.
Ligar o ar-condicionado.
Ligar o PC.
Preparar meu chá.
Completar a garrafinha com água.
Hidratante nas mãos.
Tomar remédio.
Internet.
Notícias.
Notícias.
Notícias.
Ler atualizações dos Blog's.
Email.
MSN (por causa do trabalho, lógico).
Notícias.
Trabalho.
Trabalho.
Trabalho.

(Poliana Macedo - 14.08.2009)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Jean Charles..

Assiti ontem no Cine Cultura do Espaço Cultural em Palmas. Me fez pensar em muitas coisas e principalmente, que entrar em qualquer país ilegalmente não é para mim.
Quero muito fazer meus intercâmbios e cursos no exterior, mas de forma correta.
Não percebi que o filme quis 'martirizar' o Jean Charles e sim, mostrar como é a vida dos brazucas em Londres, suas dificuldades e força de vontade. Assitam. Recomendo.
Sem contar que a fotografia é linda.
London is London, baby!

domingo, 19 de julho de 2009

Bailando




Logo cedo a festa começa
Já ouço suas cantigas deitada em minha cama
Levanto e saio de casa para observa-lás
Muitos observam
e todos que estão ao seu redor entram no clima
Alegres
Saltitantes
Rodopiam que nem pião
Uma sincronia sem igual
Bailam no compasso do mestre e vão nesse balanço até o final da manhã
São as folhas do verão tocantinense
Não sei se é bem verão ou outono
Apenas sei que são as folhas bailando ao som do vento e olhos da natureza

(Poliana Macedo - 19.07.09 - 10:45)

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Vontade de Casar?


Pois bem. Final de semana fui a um casamento. E não é que dá uma vontade de casar!
Fiquei imaginando como seria a decoração, o local, as lembraçinhas, o vestido e claro, o noivo. Senti-me como uma adolescente cuidando de sua festa de debutante sonhando com o grande momento. (Eu fiz! E foi cheia de pompa)
E para casar, não quero nada sofisticado com etiqueta que mais atrapalha do que contribui em cerimônias como esta. Quando me casar quero que seja durante o dia: em uma praia ou campo, só para familía e pessoas extremamente 'íntimas', vestido com renda e flores do campo como buquê. O padre pergunta se eu aceito e depois pergunta para o noivo e pronto! Casados. Simples assim.
Se fosse verdade seria lindo, não é mesmo? O 'casamento' é o sonho de toda mulher, mesmo aquelas que dizem que não querem casar, já se imaginaram (nem que seja durante a infância brincando de boneca) casando e sendo feliz para sempre com o seu marido. Isso é normal. São os ritos que nos facinam com todos os seus significados e representações. E os do casamento são lindos.
Casamento é um rito o qual (acredito) a maior parte da mulheres querem passar, melhor dizendo, viver a cerimônia. Será o sonho de ser princesa e ter todos os olhos voltados para si? Ainda não sei, pois não vivi isso.
Agora, e o depois do casamento? Será que é uma boa? E a tua 'liberdade' e sonhos? Questão complicada essa, não é mesmo?
O que posso afirmar é que 'casamento' não passou de imaginação da minha pessoa. Um mero devaneio feminino.
Ultimamente quero realizar outros sonhos, profissionalmente falando, e sei que impede (em parte) o 'tal' do casamento. Quero estabilidade. Casamento implica em ter família e essa, em ter filhos. São elementos muito importantes e que demandam de muita responsabilidade, tempo e dinheiro. Tirando a responsabilidade, os outros dois termos me faltam nesse momento.
Mas também não quero ficar para tia (entende-se como indireta para o namorado)... ^^
Ainda estou no prazo de validade. Casamento mesmo pode ser até 2013.. 2014 .. 2015 no máximo!
Senão já viu! ^^
Inté!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Idade nova.


No próximo domingo completo 24 anos. Uau!
Putzz.. Pensei que não passaria dos 21.. :P
Vivo uma fase totalmente diferente que estou adorando. Até escureci o cabelo (foto)! Pretissímo! Quase uma índigena.. Iracema da vida.. (nem tanto é claro). :D
Tenho a convicção que tudo o que acontece agora é porque eu escolhi viver e/ou aceitar. Hoje, todos os meus atos são BEM pensados e medidos em prós e contras. Creio que a maturidade chega aos poucos a este ser. Fico feliz em ter ao meu lado uma familia MA-RA-VI-LHO-SA e um namorado que me dá total segurança perante à vida e a um futuro que nos aguarda. Estou MUITO feliz com tudo o que acontece nesse momento. Aprendi também, a não sofrer tanto por projetos que não deram certo e a me empolgar na porcentagem certa à vista de uma novidade.
No momento trabalho e estudo. Tento levar todos os planos que tenho em mente juntos, ou seja, tudo junto e ao mesmo tempo agora. Deu para entender, não é? Porque no final, o que der certo ESTÁ VALENDO.
Amanhã, 09 de julho, viajo para Serra dos Carajás com meu namorado. Casamento do melhor amigo dele, daí vou lá dar o ar da minha graça e conhecer o restante do pessoal que não conheci no final do ano passado. Carajás é um lugar tão calmo que nem dá para acreditar que é no Pará ou melhor dizendo, no Brasil. Preciso descansar. Desde que começei nessa vida de gente grande (abril de 2007), ou seja, trabalhar, nunca tirei férias.. Se bem que essa folga não são férias, mas sim, horas extras trabalhadas e não pagas.. :P
Voltando aos meus 24 aninhos. Uma grade de cerveja ! Eita! Se fosse no tempo em que bebia. (rsrsrsrsrs). Posso reafirmar e continuar reafirmando que ESTOU MUITO FELIZ. E sei que esse é um sentimento que vai me acompanhar por um bom tempo. Como já disse Antonie Sant-Exupery, "O essencial é invisível aos olhos". Creio que vivo esse 'essencial', pois felicidade não se ver, se sente.

Meus 24 anos. Aff! Que venham então! Na verdade eu só os completei. Agora vivo os 25 anos. E que eles sejam traquilos e harmoniosos como foi a vivência dos meus 24!

Até breve!

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Sobre Cecília

Oi gente!

Julho começou pegando fogo nas redações do Estado do Tocantins por causa da mancada de uma colega jornalista. É gente a favor, gente contra e gente que não fala nada. Publico aqui o comentário que fiz no blog do Ricardo que comentou sobre o assunto. E é tudo o que penso:



"Olá Ricardo.Estudei com a Cecilia. Formei primeiro que ela, em 2006, mas desde os tempos da universidade ela trabalha nesse mesmo jornal. Muito estranho o editor dizer que ela não tem experiência. Outra, não só essa matéria, mas como recebo esse jornal todos os dias em que é publicado, encontro diversas editorias que tem matérias 'ctrl C + ctrl V'. O que me deixa furiosa são nossos 'colegas' que a ofenderam com comentários super maldosos e desreipeitosos em diversos sites que publicaram sobre o assunto. Alguns a chamaram de 'safada', 'coloca na rua', 'deve ser muito gostosa, para que todos a defendam'.. isso é ridulo!Conheço a Cecília, conheço o texto dela (aliás, muito criativo) e sei que ela é responsável. Agora, o que a levou a fazer isso, não posso dizer, até porque não consegui falar com ela. Só que antes da repórter, existe um editor que pelo menos teria que olhar e aprovar essa matéria. Não estou a eximindo de culpa. Agora, sobre o plágio: o processo tem que ter mesmo. Mas acredito, principalmente, que o respeito vem antes de qualquer coisa. E não é o que vejo em diversos comentários dos nossos 'nobres colegas jornalistas'.p.s: J.L.CIBILS, não entendi porque usou o termo 'farcudade', Não pense que somos povo da roça, pois no Tocantins também existem profissionais sérios e capacitados. ok?Abraço."

Quer entender isso? Clique aqui.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Nunca mais o passinho para trás...

Foi estranho.
Assim que cheguei da aula ontem à noite fiquei sabendo da notícia. Minha irmã disse que iria até me mandar uma mensagem, mas pensou que caso soubesse do fato, perderia a concentração.
Michael Jackson morreu.
Putz! Que coisa louca!
Eu fiquei meio boba, porque ontem mesmo li uma matéria falando dos 'vários' shows que ele faria na Europa e acaba assim? De uma hora para outra? E os passinhos que eu fazia quando era criança? Minha infância a cada dia que se passa está indo para o ralo. Todo mundo está morrendo. Ou sou eu que estou ficando velha? Humm.. acho que as duas setenças podem ser verdadeiras. Enfim...
No site oficial do cantor, a Sony deixa uma mensagem, uma delas do presidente da empresa. Tentei postar um vídeo da música 'Black or White' mas não consegui, gosto dela pelo ritmo e pela letra. E caso queiram saber mais da vida dele, resumidamente by wikipédia, clique aqui.
É. O ceifador de almas não avisa, em certos casos, apenas leva.
Fiquei triste. Gostava dele, se bem que algumas denúncias o fizeram não ficar 'bem na fita', mas gosto ainda assim, pelo menos das músicas dele que com certeza ficarão por muito tempo na memória dos fãs e dos admiradores.

Que ele tenha paz agora.

sábado, 20 de junho de 2009

Jornalista, uma nota de falecimento

Faleceu na noite desta quarta-feira, dia 17 de junho de 2009, o Jornalista Profissional Brasileiro. O seu corpo, juntamente com o Diploma da profissão, será velado a partir de hoje nos sindicatos da categoria e em todas as redações de rádios, jornais, revistas e emissoras de televisão do Brasil.

Jornalista, sério, ético e competente, deixa órfãos milhões de brasileiros que viam nele o Quarto Poder, o defensor incansável de seus direitos civis. Brasileiro, nascido em Londres em 1º de junho de 1808, foi casado com Dona Colônia, já falecida; juntou-se ao DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) no Estado Novo, em 1930; manteve por 20 anos uma relação tempestuosa e proibida com a falecida Ditadura Militar de 64; na Constituinte de 1988, acreditou na Democracia, uniu-se a ela, sendo mantido até agora sob os interesses dos Donos da Mídia. Insatisfeito com este matrimônio, mantinha uma relação extraconjugal com a Esperança, que continua viva, embora bastante debilitada.

Nos últimos anos, ele, Jornalista, vinha enfrentando sérios problemas de saúde e credibilidade, causados pelas críticas à produção de diversas reportagens denuncistas, muitas verdadeiras, mas a maioria delas publicadas pelos seus patrões sem as devidas investigações que pudessem comprovar os fatos.

Com o fim do Diploma para o exercício da profissão, o Jornalista sério, ético e competente, morreu quarta-feira, 17 de junho de 2009, às 20h14, de falência múltipla de órgãos, na mesa de cirurgia do Supremo Tribunal Federal.

Consternados, os amigos e colegas de profissão, diplomados, e as faculdades de Comunicação, convidam para a missa de último dia dos cursos de jornalismo
.


Fonte: Guilherme Cardoso

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Eu, Palhaça. Vulgo, Jornalista.

Não estou desmerecendo a profissão de cozinheiro. Até porquê minha avó cozinha muito bem e ela só tem o Ensino Fundamental. Enfim, com a decisão dessa semana o que eu tenho a dizer é que: Viva a nossa profissão! (o.0) A de Jornalista, claro!
Viva o STJ!
Obrigada Gilmar Mendes pela comparação: "Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área. O Poder Público não pode restringir, dessa forma, a liberdade profissional no âmbito da culinária. Disso ninguém tem dúvida, o que não afasta a possibilidade do exercício abusivo e antiético dessa profissão, com riscos eventualmente até à saúde e à vida dos consumidores", disse.

Que frustração!

Dá vontade mudar de profissão. Ou de abrir um boteco em qualquer esquina servindo espetinho e petiscos variados. É a mesma coisa, não é?

No final de tudo o que eu posso pensar é para que me serviram aqueles 4 anos dentro da Universidade? Para quê mesmo? No fundo, lá no fundo existe o porquê. Eu sei. Mas não foi por causa do diploma, não precisa mais.

Podia ter escutado meu pai e ter escolhido uma profissão que fosse 'normal' e que todo mundo respeitasse. É triste.

=/
Cansei.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Que seja retornável!


Uma célebre lembrança que tenho da minha infância é de quando íamos comprar refrigerante na padaria e tínhamos que levar a garrafa retornável de 1 litro. Isso era tão bom e especial. Não sei. Tinha um gostinho de 'eu vou comprar Coca e você não' junto com os coleguinhas.
Sei que a garrafa retornável voltou e espero que com força total.
Despois que apareceram as garrafas PET's, a preguiça tomou conta da nação e a sujeira que elas provocam também. Não adianta, o povo não tem noção de que garrafa PET é plástico e demora séculos e mais séculos para se decompor. Ok. Mas e o vidro?
Bom, se é retornável você não vai ter o porquê de querer jogar fora. Ou vai? O.0
Lá em casa já temos nossa unidade e sempre que 'lembramos' compramos com a retornável. Demora acostumar o juízo de novo.
A modernidade e a facilidade que o homem quis trazer com as garrafas PET's para os refrigerantes não contribuiu muito com o meio ambiente e sem contar que o gosto do refrigerante é bem melhor na garrafa de vidro. Existem inúmeras teorias 'by boteco' sobre a diferença no sabor, mas que se forem postadas aqui, viram um livro.
Enfim, creio que se todos nós voltassemos a fazer 1/3 das coisas (simples) que fazíamos no passado, como esse exemplo, de ir à padaria e levar a garrafa de vidro, já ajudaria, não é mesmo? Até porque todo mundo que bebe uma cervejinha leva o casco de cerveja para comprar outra 'zero bala', não é verdade? O lance é reeducar nossos costumes. Acho que pelo menos a consciência de cada um ficaria mais leve, até porque nem todo mundo sabe reaproveitar a garrafa PET (como na foto ao lado.. show!) e o destino acaba sendo o lixo, e no final, o maior prejudicado é o meio ambiente..

Pesquisando na net: a Coca-Cola lançará uma garrafa de plástico retornável. Confiram!

É isso.
Beijos!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

E na labuta...


Já tem um tempo que quero dizer algumas coisas sobre esse tema: meu trabalho.
Primeiro, a profissão que escolhi é belissíma e adoro o que faço, bom, não agora, não estou 'realmente' JORNALISTA. Depois que você labuta em Assessoria você sabe que isso não é Jornalismo. Enfim, tem gente que defende, mas para mim não é, e pronto.
Segundo, trabalhar no que eu trabalho, pelo menos na instituição do estilo que eu trabalho, não é muito bom, pois você ter sua cabeça à prêmio só porque seu chefe estava na TPM, olhou para você e não gostou da sapatilha que você usa é %$#@*. Para mim, empresas que são gerenciadas pelas fases da lua, sinceramente, não são empresas.
Terceiro, trabalhar com gente que só sabe resolver as coisas no grito, isso não é trabalhar. Para mim, se elas não tem nem a competência de solicitar algo a menos que 50 a 70 dB, vai ver ser chefe de alguém. Gente mal educada...
Quarto e espero que último desabafo, do que adianta você valorizar e dar o seu 100%, se a empresa não valoriza o funcionário. Sem contar com os 'colegas' que vivem de 'fuxico' para ver quem derruba o outro? Isso é empresa? Ou como dizem aqui: 'Familia'?
Sei que se algum dia, uma empresa ou instituição quer passar preceitos de familia para seus funcionários eles primeiro devem saber que: 1) Em Familia existem pessoas que você ama, odeia e os que nem fedem e nem cheiram e todo mundo sabe e não fica 'forçando' amizade; 2) Familia fica no pé porque quer ver o seu melhor e não te humilhar; e, 3) Familia pode até ter uma discussão, mas primeiro vêm respeito, moral e os bons costumes (falei igual minha finada bisavó), além de educação.

Bom, daí você deve me perguntar: - E porquê não sai daí?
Respondo: - É o que paga minhas contas no momento. Mas estamos trabalhando nisso.
Enfim..

É isso.

Beijos e boa semana.

* Tela "O Grito" de Edvard Munch de 1893

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Dia Mundial do Meio Ambiente

Procurei, procurei e procurei algo que fosse interessante para postar sobre o Dia Mundial do Meio Ambiente e não quis bater na mesma tecla que muitos blogs e sites direcionados. Por exemplo, 10 maneiras de salvar o mundo ou 20 maneiras para salvar o mundo. O.0

Daí pensei em escrever algo diferente, então respirei fundo e falei comigo mesma, porque nós 'humanos' simplesmente não preservamos a 'nossa casa', pois podemos fazer algo mais...SEMPRE.

Só que agora o preservar não está adiantando, temos mesmo é que cuidar do nosso planeta. Ele está doente. Será que ainda não percebemos?

Olhe ao seu redor, olhe para o tempo hoje. Aqui em Palmas, nessa época, era para ter 'aqueles' ventinhos que anunciam: 'olha a praia, solzão e tal'. Não. Não temos isso. Ou está bem quente ou chove do nada. Não estou reclamando da chuva é que isso não está normal.

A Terra não está normal. Estaríamos resfriando? Igual naquele filme "O Dia depois de Amanhã". Ok. Posso ter viajado agora, mas se ninguém explica. Poxa! Teorias e teorias sobre o fim do mundo!

Bom, para quem não ia escrever muito, acho que isso virou um desabafo.

Realmente, estou sem esperança em relação as atitudes dos homens com a natureza. Só pensam em $$ e tudo vira pasto, vira lago para usinas hidrelétricas, vira indústria, vira pátio para carros, vira lavoura de soja ou vira concreto..

Estão destruindo meu Tocantins, minha Amazônia, meu Brasil... meu Mundo.

Dá vontade de gritar bem alto: VAMOS CUIDAR DESSA PORRA, CARALHO!

(opss! foi sem querer Mãe..)
É isso..

(In) Feliz Dia do Meio Ambiente para você!

terça-feira, 2 de junho de 2009

Permanece.

o porta-retrato permanece no mesmo lugar mostrando a quem quer que seja um dia feliz em que vivi ao teu lado;
o sentimento permance no mesmo lugar mostrando para mim o quanto preciso de ti;

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Saiu no Jornal!

Ueba!
Meu artigo sobre o aniversário de Palmas saiu no Jornal do Tocantins. Que chique!
Bom.. fiz uma montagem para que vocês possam ver a edição que saiu o artigo e como ele ficou lá na página da coluna "Tendências e Ideias". Estou contente! :D
Ahh, e caso queiram ler, eu postei aqui no blog.


quarta-feira, 20 de maio de 2009

Palmas, a cidade que escolhi




Palmas comemorou seus 20 anos essa semana e o que me vem à cabeça são as pessoas que construíram e constroem a ‘cara’ dessa capital todos os dias, faça chuva ou faça sol, mais sol do que chuva.
Meu primeiro contato com a capital foi aos 14 anos de idade, em 1998, quando acompanhei meus pais em uma viagem de negócios à capital. Saímos de Araguaína, 380 km de distância de Palmas, e quando chegamos aqui uma surpresa para mim: quanta poeira e calor! E, diz o ditado que quem bebe da água de Palmas jamais se esquece e sempre quer voltar. Como a maior parte da população que vive hoje em Palmas, vim em busca de um sonho, cursei a faculdade, hoje, faço minha pós-graduação, trabalho na minha área e quem sabe ingresso no Mestrado. E tudo aqui, em Palmas.
Palmas possui uma cultura singular, pois os pedaçinhos de cada canto desse país uniram-se e tornaram-se o que somos hoje. Quem não adora ir à feira da 304 Sul e a do Bosque comer uma paçoca, um pastel, sem esquecer, é claro, de levar para casa uma torta doce? Quem nunca comeu um chambari depois de uma festa ‘daquelas’ para recuperar a energia? Quem não se encanta em toda noite que a lua cheia rompe a serra para mostrar sua beleza e iluminar as ruas da nossa capital? E o pôr-do-sol na praia da Graciosa? Simplesmente um quadro perfeito que fica na memória de cada um que presencia esse momento.
Quem mora em Palmas escolheu morar aqui, e por isso faz com que essa cidade tenha um ar diferente de outras tantas capitais do país. Palmas é tranqüila, tem ‘ar puro’ e você encontra de tudo um pouco. Como por exemplo, de vez em quando, um engarrafamento básico por causa de alguma rotatória lotada em horário de pico, encontra pessoas fazendo exercícios físicos na Praça dos Girassóis e encontra também, ruas limpas (se bem que agora, os buracos começam a estragar o visual), iluminadas e largas, as relaxantes cachoeiras em Taquaruçu, o sossegado Parque Cesamar, as agitadas praias do Prata e das Arnos, e o melhor em tudo isso, é que você encontra gente de todo lugar que ama viver em aqui.
Palmas têm uma energia positiva onde as pessoas acreditam que sempre podem conseguir mais. Não sei se é o sol ou se é a chuva, se é a serra ou o lago, enfim, tudo se mistura e nos revela essa aura estimulante. Acredito que todos que vieram ‘tentar a vida’ em Palmas, sentem-se bem aqui, pois presenciaram o crescimento de uma capital em meio ao cerrado, em meio ao sonho, não só dos seus idealizadores como de toda a população que escolheu ser palmense.
Depois de 7 anos morando em Palmas fico muito feliz em saber que faço parte dessa história também, e contribuo todos os dias para que nossa capital tenha sua identidade. Não vim de outro Estado do país, não sou pioneira da cidade, não nasci depois de 1988, mas tenho a certeza de que sou Tocantinense e Palmense de coração, porque o que mostra quem somos e o que fazemos é o lugar onde vivemos.
Palmas, parabéns por seus 20 anos!