segunda-feira, 25 de maio de 2009

Saiu no Jornal!

Ueba!
Meu artigo sobre o aniversário de Palmas saiu no Jornal do Tocantins. Que chique!
Bom.. fiz uma montagem para que vocês possam ver a edição que saiu o artigo e como ele ficou lá na página da coluna "Tendências e Ideias". Estou contente! :D
Ahh, e caso queiram ler, eu postei aqui no blog.


quarta-feira, 20 de maio de 2009

Palmas, a cidade que escolhi




Palmas comemorou seus 20 anos essa semana e o que me vem à cabeça são as pessoas que construíram e constroem a ‘cara’ dessa capital todos os dias, faça chuva ou faça sol, mais sol do que chuva.
Meu primeiro contato com a capital foi aos 14 anos de idade, em 1998, quando acompanhei meus pais em uma viagem de negócios à capital. Saímos de Araguaína, 380 km de distância de Palmas, e quando chegamos aqui uma surpresa para mim: quanta poeira e calor! E, diz o ditado que quem bebe da água de Palmas jamais se esquece e sempre quer voltar. Como a maior parte da população que vive hoje em Palmas, vim em busca de um sonho, cursei a faculdade, hoje, faço minha pós-graduação, trabalho na minha área e quem sabe ingresso no Mestrado. E tudo aqui, em Palmas.
Palmas possui uma cultura singular, pois os pedaçinhos de cada canto desse país uniram-se e tornaram-se o que somos hoje. Quem não adora ir à feira da 304 Sul e a do Bosque comer uma paçoca, um pastel, sem esquecer, é claro, de levar para casa uma torta doce? Quem nunca comeu um chambari depois de uma festa ‘daquelas’ para recuperar a energia? Quem não se encanta em toda noite que a lua cheia rompe a serra para mostrar sua beleza e iluminar as ruas da nossa capital? E o pôr-do-sol na praia da Graciosa? Simplesmente um quadro perfeito que fica na memória de cada um que presencia esse momento.
Quem mora em Palmas escolheu morar aqui, e por isso faz com que essa cidade tenha um ar diferente de outras tantas capitais do país. Palmas é tranqüila, tem ‘ar puro’ e você encontra de tudo um pouco. Como por exemplo, de vez em quando, um engarrafamento básico por causa de alguma rotatória lotada em horário de pico, encontra pessoas fazendo exercícios físicos na Praça dos Girassóis e encontra também, ruas limpas (se bem que agora, os buracos começam a estragar o visual), iluminadas e largas, as relaxantes cachoeiras em Taquaruçu, o sossegado Parque Cesamar, as agitadas praias do Prata e das Arnos, e o melhor em tudo isso, é que você encontra gente de todo lugar que ama viver em aqui.
Palmas têm uma energia positiva onde as pessoas acreditam que sempre podem conseguir mais. Não sei se é o sol ou se é a chuva, se é a serra ou o lago, enfim, tudo se mistura e nos revela essa aura estimulante. Acredito que todos que vieram ‘tentar a vida’ em Palmas, sentem-se bem aqui, pois presenciaram o crescimento de uma capital em meio ao cerrado, em meio ao sonho, não só dos seus idealizadores como de toda a população que escolheu ser palmense.
Depois de 7 anos morando em Palmas fico muito feliz em saber que faço parte dessa história também, e contribuo todos os dias para que nossa capital tenha sua identidade. Não vim de outro Estado do país, não sou pioneira da cidade, não nasci depois de 1988, mas tenho a certeza de que sou Tocantinense e Palmense de coração, porque o que mostra quem somos e o que fazemos é o lugar onde vivemos.
Palmas, parabéns por seus 20 anos!

terça-feira, 19 de maio de 2009

O Magrelo



Como esse amigo faz falta..
Ele não morreu, não..
Só mora longe.. praticamente em outro país: o Maranhão!
Te 'love' Antonio F., Frufris, Antonio, Fabricio, Magrelo, integrante dos 5(cinquinho) do C.A!

Esse poema ele fez para mim..
Nunca entendi direito.. :P
Eu sou devagar..

quinta-feira, 14 de maio de 2009

O que todo mundo queria dizer...

Saiu hoje no Jornal do Tocantins um artigo sobre os benditos shows do V Salão do Livro. E era o que todo mundo queria dizer e é o que eu acho que a organização deveria fazer na próxima edição. Leiam aí. Parabéns à autora pela iniciativa!!

_______________________________________________________________

Shows abertos ou fechados

Mariama Rezende
é estudante de Direito na UFT, sempre ganha convites para os shows, mas não para de pensar em quem não os consegue
mariamarm@gmail.com

O Salão do Livro é um evento importante e já é motivo de orgulho para os tocantinenses. Possibilitar acesso à cultura e disseminar o hábito da leitura é extremamente positivo. Mas existe algo de muito pouco lógico no evento. O que muitos sempre questionam é a necessidade de ‘convites’ para assistir aos shows.

Os convites são primeiramente distribuídos em secretarias e escolas e, naturalmente, chegam primeiro a pessoas que se valem de influências para consegui-los. Quem não tem influência enfrenta enormes filas que, dependendo da popularidade dos shows, se tornam humilhantemente cansativas.

Outra opção é encarar uma outra fila (bem maior, acredite) e torcer para que sobre um lugarzinho dentro de um auditório pra você. Um pouco incômodo para prestigiar um espetáculo que você ajudou a bancar, não?

Afinal, quem paga tudo aquilo, não é a população? Eu e você? Sim, pois não deveria ser “Para todos”? No lado prático da questão, ao invés de enfrentarmos filas, poderíamos estar comprando livros.

Fica aqui uma sugestão, minha e de muitos, com certeza: queremos que o palco maior seja montado do lado de fora, para shows abertos no Salão do Livro. O auditório maior continuaria sendo destinado a palestras. Tudo certinho, enfim.

Quem sabe assim, ano que vem, consigamos realizar aquele sonho de assistir O Teatro Mágico, por exemplo, de um lugar mais fresquinho e agradável. Quem sabe eles consigam assim mostrar seu trabalho para um número maior de pessoas e também para aquelas que nunca ouviram falar deles antes. Imagine toda aquela energia do Cordel do Fogo Encantado sendo absorvida por tantas outras pessoas que, como cidadãos contribuintes, também ajudaram a trazê-los. Imagine a magia do Grupo Tholl encantando um pouquinho mais da população palmense.

Em shows, de longe mais agradáveis, poderíamos pedir ‘bis’ sem correr o risco de incêndio (como aconteceu no show do dia 11/05). Poderíamos quem sabe, ficar mais tranquilos ao simplesmente ver a lua, que brilhava cheia bem ali acima de nós.

Quem sabe ano que vem, durante seja qual for o show, as pessoas da platéia consigam beber água caso sintam sede! Vejam que é também uma questão biológica.

Shows mais agradáveis, enfim, não só aos olhos mas a todos os outros sentidos. Afinal, como diriam os organizadores... “Você é o convidado especial!”

segunda-feira, 11 de maio de 2009

V Salão do Livro do Tocantins


Coisa boa é ver as pessoas saindo de suas casas debaixo de um temporal que aconteceu nesse final de semana em Palmas - TO, para ir ao Salão do Livro, seja para comprar algum exemplar ou participar das paletras, shows entre outros. Tudo lindo mesmo.
Pessoas acordando cedo e ficando duas horas na fila para ser a PRIMEIRA a conseguir os ingressos para o final de semana! É, fui EU! ^^
Muita gente vinda de toda parte do Tocantins. Muita gente mesmo!
Dos eventos que participei nesse final de semana, dois foram de 'arrancar' aplausos e o outro, para não chamar de lixo, digo que foi 'legalzinho'...
Palestra com Caco Barcellos e show do Cordel do Fogo Encantado.. UAU!
Show de Humor com Diogo Pourtugal.
Deu para sacar, né?!

Então.. O Salão acontece na Praça dos Girassóis e vai até o dia 17 de maio.

Quatro pontos que merecem comentários:
1 - Livros: caros; 'da modinha'; com exceção de algumas editoras como a UFMG, na qual, comprei 3 livros;
2 - Brasil Card: no sábado, por causa da tempestade, eles simplesmente pararam de funcionar, enquanto o VISA estava lá firme e tal; não é propaganda, mas porque o Governo do Estado fecha contrato dos cartões para os professores com a BrasilCard, sendo que o repasse do valor comercializado para a empresa é bem maior (5 %) do que o concorrente (3%); tem algo errado aí.. (Ahh, essas informações foram repassadas pela dona de uma livraria)
3 - Professores: na sua maioria, mais preocupados com quantidade do que com qualidade.. (conheci as exceções! yes!);
4 - Filas: que demora da 'zorra' foi aquela para entrar em um show? E o segurança ainda é um bruto..
_Não pode entrar com água não!
Disse isso arrancando a garrafinha da minha mão. :(

Fora isso, foi tudo bem..
Normal..
E o show do Cordel e a palestra do Caco compensaram os pontos negativos!

Visitem o V Salão do Livro e tirem suas conclusões.
Se tudo der certo (até porque vou para a fila dos 'sem ingresso', porque na hora da distriubição dos mesmos estarei 'labutando') vou no show do O Teatro Mágico.
Não conheço o trabalho deles ainda.. Me disseram que é muito bom! Vamos lá conferir.. :D
Boa semana!
Beijos!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Aqui também é Brasil!


Bateu a curiosidade com o título?
Pois bem, cadê as campanhas na mídia para ajudar o pessoal do Norte e Nordeste que estão sofrendo com as enchentes? Não vi alguma. (Caso tenha, me avisem e MOSTREM!)
Cadê as TV's incentivando a solidariedade? Não vejo isso.
E é uma pena.
Sabia que aqui no Norte (e Nordeste) é Brasil também? O discurso pregado meses atrás não serve para nós?
Meu Estado não foi afetado, mas cadê o Governo do Estado do Tocantins mobilizando suas secretarias, seus funcionários, a TV local para recolher mantimentos, roupas e etc?
Na época do caso em Santa Catarina, quando estive em uma dessas secretarias de governo, eles tinha comprado até bicicleta NOVA!
Que vergonha. A cada dia tenho mais vergonha desse país e de seus governantes.
Um país onde é descarado o clichê "Dois pesos e duas medidas".
E o pior é que essa situação das enchentes já dura mais de mês..
E ninguém fala nada..
A mídia não faz campanha nenhuma..
É uma vergonha.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Improvável: eu assisti!

Seguinte. Demorei postar sobre o espetáculo de teatro Improvável, porque passei o dia de bota cano longo, salto 15, camiseta e chapeú na Agrotins 2009. Aff.. é bom mas cansa.. ôhhh saco! Estou morta!
Enfim..
Ontem, depois de 3 HORAS na FILA e da surpresa de uma sessão à mais: eu assisti a apresentação Improvável. Show! Eu não conhecia o trabalho deles. Fui porque ao saber que eles viriam para a inauguração do Teatro do Sesc em Palmas, encaminhei um email para meu namorado e amigos. Ficaram eufóricos! (Nerd's.. ¬¬')
Ok. Vamos lá!
Saí uns 10 minutos mais cedo do trabalho para ficar na fila para os ingressos, pensei que seria tranquilo. Quando chegamos lá.. 200 milhões de pessoas.. brincadeira, mas umas 400 e muitas estavam lá sim. E olha que eram 18h!
Fomos para o rabo da fila. Daí, aparece uma moçinha bem educadinha e de crachá no pescoço e nos informa:
_Vocês sabem que os ingressos acabaram, né? (Não, né! Senão não estavámos no final da fila!... Eu não disse isso, mas vontade... ¬¬')
O local só comportava 300 pessoas. E óbvio que o 'trem' não iria caber aquele 'mundo' de gente.
Resolvemos ficar para ver no que que ia dar.. E não é que deu!
O diretor do Sesc apareceu e foi caminhando de grupo em grupo da galera "estou na fila, mas tenho esperança" e disse que tinham contratado mais uma sessão GRATUITA para o público. Pense! Felicidade geral da nação palmense. E o melhor, nós eramos o número 150 a 154 da fila de espera para a segunda sessão. Massa! Vamos esperar.
Só que, espírito de porco existe em qualquer lugar e na fila do Sesc não seria diferente, umas 'pessoas' começaram a ligar para seus amigos, pessoas essas que estavam na nossa frente, aí o 'pau quebrou'..
Na hora em que algum 'zé mané, tia mané, patricinha mané, playboy mané, vó mané' chegava querendo furar fila, TODO MUNDO (menos os que chamaram, lógico) gritavam para que fossem para o final da fila. Em alguns momentos funcionou e em outros não (como tem gente cara de pau nesse mundo).
Depois dessa folia. Entramos! Ufa! Como foi bom entrar naquele pátio. Sem contar que teríamos que esperar a primeira sessão acabar, o descanso dos artistas e daí, entramos. Tudo MA-RA-VI-LHO-SO! Para quem nem ia assistir o show!
E o tempo não passava. Tinha gente jogando truco, jogando no celular, falando mal da vida dos outros, comendo pipoca. Opa! Tenho que comentar...Acho que o tiozinho da pipoca nunca faturou tanto na sua vida. Veio na primeira rodada de gente, teve que ir em casa e trouxe mais pipoca e vendeu tudo!
Nesse intervalo de espera, tinha gente vendendo a entrada por 50 reais. E nós, lá. Firmes e fortes comendo pipoca com sal'monela'.
Enfim! Entramos e assistimos o show. Naõ vou contar como foi, estou com sono, o post está grande e vocês não vão ficar mais de 2 minutos lendo isso aqui.. pelo menos foi o que aprendi nas aulas de Jornalismo Online na universidade . ^^
Ri muito. Gostei da atuação das meninas e dos meninos. Nunca os tinha visto. Deve ter algum vídeo sobre a apresentação em Palmas no Youtube. Aliás, sobre a apresentação deles, até colaborei citando a ultra-mega-power heroína Shira no jogo do troca para a atriz Cristiane Wersom. :D
Muito massa! Muito massa!
Indico. Assistam.
Improvável: um show provavelmente bom.
Que nós provavelmente não assistiríamos.
E que aconteceu o improvável: assistimos e eu gostei muito!
Parabéns ao Sesc que nos disponibilizou mais uma chance. O Teatro é LINDO de doer e querer morar dentro!
E para consolo do restante das mais de 500 pessoas que estavam na fila depois da gente: nós passamos pelo que vocês passaram, a diferença foi que voltamos bem mais leves e alegres para casa.
O Improvável aconteceu! ^^
Inté!

Moral da história: " A esperança é a última que morre, mesmo que dure 3 horas."

terça-feira, 5 de maio de 2009

A TV daqui..

Depois que assisti ontem (04 de maio) a TV local (aqui em Palmas), definitivamente conclui que o Tocantins quer está em tudo, até em desgraça. Exemplo atualissímo é a gripe suína (que de suína não tem nada, tadinho dos porquinhos). Ontem no telejornal que é transmitido na hora do almoço a bela jornalista e seu ancôra me fazem uma 'graça'. Até então não tinha sido notificado que no Tocantins tivesse duas pessoas sob suspeita da doença, o que seria feito na parte da tarde através de uma coletiva da Secretaria Estadual da Saúde cedida à imprensa. Ok.
Mas, não é que a jornalista alarma a população?
Porque até EU que leio e estou 'meio que por dentro' do que está acontecendo fiquei com medo. Imagine só, um cidadão menos informado!
Pois bem, a moça diz 'ao vivo' que para 'prevenir' a contaminação no Tocantins as pessoas devem evitar contato físico como por exemplo, aperto de mão, frequentar lugares públicos e ficar em casa. O.0
Opss! Mas espera ai. Mas ninguém confirmou nada e a TV local já quer transformar Palmas em México. Eu fiquei decepcionada com o que a jornalista disse e falei sozinha em casa: - Pronto, agora ninguém fala com ninguém. A 'TV Local' já fez cagada.
Bom.. Não assisiti o jornal da noite porque fui às compras NORMALMENTE, mas assisti o da manhã (como só repete a maioria das matérias, essa com a coletiva estaria fresquinha).
No jornal, pela manhã, a TV Local não se redimiu e nem disse que tinha informado coisas exageradas, apenas colocou a fala do Secretário da Saúde (que deve ter assistido o jornal na hora do almoço) dizendo que NÃO precisava de pânico, que as pessoas poderiam CONTINUAR frequentando locais públicos e TER contato.. vida normal, ora bolas!
Final das contas: esses dois casos sob suspeita já foram incluídos na contagem do Ministério da Saúde e estão em tratamento no Hospital Geral de Palmas - HGP.
Eita. Que tem coisas que acontecem nesse Tocantins que é só no Tocantins mesmo. Aff..

Humm.. Olha aí uma matéria da Folha Online com os dados sobre a Gripe Suína.

domingo, 3 de maio de 2009

Twitter: não ter!



Depois de 15 dias utilizando e analisando o Twitter.
Não vi serventia alguma (RELEVANTE).
Em poucos dias fui seguida por várias pessoas e veículos de comunicação, como a VEJA e um site de culinária.. O.0
Alguns pontos que não gostei:
Primeiro: ter que ficar conectado o tempo todo;
Segundo: ou o cara é muito só para dizer para o mundo que está 'tomando banho', 'comendo', 'dormindo' ou 'vou ao banheiro fazer o tipo 2' ou gosta mesmo disso, aparecer;
Terceiro: muito pouco espaço para minhas idéias, acho que por isso gosto do meu blog;
Quarto: é chato, pronto.
Ok. Discutindo ontem com uns amigos sobre a serventia do Twitter, conclui que ele serve para:
Primeiro: saber das notícias e tal;
Segundo: um grupo de amigos combinar algo;
Terceiro: saber da vida dos outros;
Como eu cansei dessa vida exposta que o mundo moderno nos impõe, como por exemplo, o orkut e seus similares, conclui que o Twitter é só mais uma ferramenta dessas: exposição, baby.. só exposição. Que pode levar a algum lugar ou a nenhum, não é mesmo?
Uma amiga em seu blog reclamava que depois que esse Twitter apareceu as pessoas não a visitavam mais, não estavam interessadas em ler, ou seja, contentam-se em ser informados por 140 caracteres.
Usei, analisei e não gostei. Adoro a democracia e a liberdade de expressão.
Beijos e ótimo início de semana.

sábado, 2 de maio de 2009

Se eu escutasse mais os meus pais...

Bom. Todo mundo sabe que quando pai ou mãe da gente fala alguma coisa é certa. E, há algum tempo, tenho notado isso...
Muitas escolhas que eu fiz poderiam ter tido rumos diferentes, mas enfim, eu escolhi, quis saciar meu desejo e vi que não era essas coisas.
Nossos pais têm mais visão do mundo e é uma pena que sejamos capazes de subestimá-los tanto. Todos fazem isso, não é mesmo?
Esses dias ai, enquanto pensava na vida, resolvi mudar de rumo e fazer algo que realmente é certo e que vai dar certo, algo que meus pais me falaram que seria bem melhor. E vou fazer!
Já provei do gosto que eu queria, é bom, mas não sustenta algumas coisas.
Coisas concretas me aguardam.