segunda-feira, 5 de julho de 2010

E quando vou para o interior da Bahia..


01/07/2010
E quando vou para a Bahia...
Gosto mais de morar no Tocantins, pois temos acesso e locomoção bem mais tranqüilo para entrar  e sair de qualquer cidade, seja pelo norte, sul, leste e oeste. Claro que não me refiro às cidades maiores e que ficam na rodovia que cortam o Estado da Bahia de leste a oeste, mas o principal gargalo é o interior.
Gente, demorei 3 dias para conseguir voltar para o Tocantins.
Minha previsão era de chegar na terça-feira (29 de junho) em Palmas, mas consegui chegar só na quinta! Sai em junho e cheguei em julho.. rsrsrs Na segunda, os ônibus estavam lotados, na terça eles nem entraram em Macaubas e detalhe, todos saem de noite. Eu e minhas primas conseguimos sair na madrugada de quarta! Passamos o dia em Barreiras, pernoitamos  e finalmente, às 6h da matina, saímos em direção à Capital tocantinense, minha querida Palmas.
E claro, toda essa odisséia foi regada por café, coxinha e frio! O que me fez jurar no meio da madrugada em voltar no próximo ano só de for de carro!
Depois dessa aventura em busca de uma vaga em qualquer ônibus, lembrei-me de quando íamos para a Bahia com toda a família passar o São João em Ibipitanga (pertinho de Macaúbas). Geralmente em dois carros com os primos, tios, avós e bisavó e tudo isso, para nos repassar essa tradição junina já que no Tocantins não temos essa manifestação tão arraigada, a não ser nas escolas e tal.
Enfim, viajávamos com o “frito”, travesseiros, roupas de frio e claro, muita paciência pois as estradas eram de terra e na década de 90, asfalto era luxo, coisa de Salvador. Era tudo muito divertido e um episódio que me recordo bem, foi quando em algum lugar da Bahia, hora de almoço, a molecada toda faminta (primos com idade entre 7 a 10 anos) e sinal de cidade, paramos no rio das ondas e almoçamos o frango frito com farofa que minha bisavó Onorina “Mainha” tinha levado e claro, menino que é menino, toma banho no rio.
Nossa! Como foi divertido!
Demorei uns 15 anos para voltar ao interior da Bahia e dá uma saudade daquele tempo, onde roubar bandeirola e soltar estalinhos nos primos era uma grande aventura!
Bons tempos...
Boas lembranças...
E uma grande saudade de quem não está entre nós, mas que deixou um grande ensinamento de que nunca devemos esquecer nossas raízes e sempre temos que voltar para nossa terrinha e reviver nossa história, cultura, mesmo que seja uma aventura e demore alguns dias...

Nenhum comentário:

Postar um comentário