segunda-feira, 5 de julho de 2010

Estão todos bem



Vi um futuro próximo ao assistir esse filme, mas não pela história dos personagens onde o cara fica viúvo, uma filha está divorciada, a outra com um bebê e é lesbica, outro irmão fazendo outra coisa do que alegava fazer e o caçula envolvido com drogas. Por Deus, não é isso!
A lição que dá para tirar desse filme é de que eu e meus irmãos estamos buscando nossos caminhos e cada um em uma area diferente, cada qual para seu lado. Eu, jornalista e pesquisadora, minha irmã enfermeira e agora estudante de medicina, e meu irmão estudante de farmácia, mas que quer ser engenheiro ambiental.. rsrsrs
Somos indecisos!
Se bem que nem tanto, pois enquanto não conseguimos o que queremos vamos vivendo a vida  e assim que surgir qualquer oportunidade, mesmo que remota, vamos em frente e tentamos! Não nos acomodamos, isso é fato!
No filme, apesar de cada um está em um canto, vivem sua vida da melhor maneira e enfrentando os problemas que possam surgir durante seu curso. E os meus pais? Só podem fazer o que o viúvo fez, orgulhar-se, aconselhar-nos e ajudar-nos da melhor forma possível...
Um detalhe interessante no filme é que o pai sempre que revê os filhos, os vêem quando crianças, e para mim não é diferente quando me reencontro com os meus. Parece que fico tão frágil e carente perto deles que me vejo como criança. Confesso que no final do filme queria ir correndo para casa e ficar lá com eles! Até porque a casa dos nossos pais sempre é nossa casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário