domingo, 21 de novembro de 2010

E o que eu vim fazer aqui?


Hoje quero ficar só com meus pensamentos. Estou naqueles dias em que nem quero escutar músicas, vozes, televisão, enfim, quero está no meu mundo: a pesquisa. Só escuto os livros e as idéias que vão se intercalando para formar algo novo, ou não.  Esse é o meu medo, o de saber que está escrevendo algo novo e não o ‘mais do mesmo’.
Estou quase dois meses em Braga e me pergunto: o que eu vim fazer aqui?
Ora bolas, vim estudar!
Bom, mas isso só está acontecendo agora, na metade do tempo. O meu primeiro mês foi de assimilação e o segundo de adaptação e organização de idéias. Agora sim, posso dizer que “começo a estudar”. Já sei viver aqui.
Mas o que realmente eu vim fazer em Braga nesse intercambio foi uma pesquisa bibliográfica sobre meu tema da dissertação no Brasil: festas religiosas, em especial, a festa do Divino Espírito Santo. Vim procurar fontes que no Brasil é mais complicado de encontrar e fazer esse resgate histórico de uma das festas que acontecem no meu país e que foi para lá com a colonização portuguesa. Esse é o meu objetivo aqui.
E que por sinal é muito interessante, pois posso ir um pouquinho mais á fundo no que me tange as festas populares. E tudo tem me entusiasmado muito, muito mesmo.
Estou gostando do que estou encontrando: livros, professores e métodos de pesquisa. Tudo me motiva e faz com que acredite nesse investimento de vida que fiz!
Gosto do que vim fazer aqui: estudar.
O resto , como viagens, pessoas e vivência, é lucro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário