domingo, 28 de fevereiro de 2010

Casa de Mãe

Quem nunca foi à casa dos pais e voltou uns quilinhos mais gordinho?
Acredito que isso vai acontecer comigo nesse fim de semana.
Gente do céu, minha mãe quer me entupir de comida! rsrs
E estou precisando (urgentemente) perder os 2kg que ganhei no Carnaval e formatura de uma amiga. Sabe como é, aquela velha mistura de alcóol - comida 'pesada' - horário bagunçado.
Já comecei minhas corridinhas noturnas (durante o dia, só se tiver pagando promessa, nesse calor infernal) na Praça dos Girassois, em Palmas.
Então, voltando ao assunto "Casa de Mãe".
Você presencia aquelas discussões bobas que só os pais conseguem ter, a história daquele tio que morre de nadar em dinheiro e vive chorando miséria, fofoca da vida das primas e primos, 'aguenta' (e adora) o grude dos seus pais para que você 'fique mais um dia' entre outros..
Hoje minha mãe fez uma torta doce que eu AMO-DE-PAIXÃO desde que era criança, além de carne de sol assada com tutu de feijão e mandioca. Tá vendo porque 'Mãe engorda'?!
E eu só volto para Palmas na terça-feira! Tô lascada!
Ainda bem que meu pai me chamou para fazermos uma caminhada amanhã. Será que ele me achou gorda? Ai Jesus. O.0 ... Na verdade, ele quer um companheiro para essas atividades (comprou até uma esteira), mas meu irmão 'mora' na universidade e minha mãe trabalha o dia todo.. daí já viu!
Bom, mas eu vou aproveitar esses dias na casa dos meus pais e resolver algumas coisas. O mais engraçado é que tudo fica tão simples quando eles estão por perto, como por exemplo, coisas de banco, conserto de eletrodoméstico, compra de algum material... Humm.. bateu mesmo foi uma saudade do tempo de criança, pois andar nas ruas do meu bairro me faz lembrar tanta coisa: o jogo de volei todas as tardes, a queimada, a missa, o 'ir' na casa da tia imprimir um trabalho da escola, as quermesses da igreja e por ai vai...
Como é bom voltar em casa e relembrar um pouco do que você já viveu. Isso sempre me dá forças para continuar meus projetos de vida, pois é perto da minha família que sei realmente quem sou e o que quero viver nessa vida.
Terça-feira é hora da nova rotina. Estudar, estudar, estudar...
Beijos e vou curtir mais um pouco meus fofos (pai, mãe e mano)!

p.s: Ninha, saudade grande!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

2012

Assisti o filme 2012..
Quem me conhece (ou lê o blog) sabe que só vejo ou leio alguma coisa depois que sai da moda.
Bom, como todo mundo já sabe o final, e eu não fiquei me coçando para saber, eis minhas considerações sobre o bendito:
- Quem tem grana sobrevive meu caro..
- Porquê eles sempre erram a previsão dos acontecimentos? Aconteceu assim também no "O Dia Depois de Amanhã" e dá-lhe contagem regressiva para a morte. (mesmo diretor.. Tô sabendo)
- Sempre tem um maluco que sabe de tudo e ninguém acredita no coitado. Alguém lembra do abduzido do "Independence Day"? (mesmo diretor.. Ok!)
- Melosooooooo (quase, eu disse quase.. chorei)
- Me surpreendi com a quantidade de negros que mandavam geral, não é? (só em filme mesmo)
- Efeitos especiais foram show!  Um detalhe bacana foi o Papa caindo para trás na hora do 'vamo vê' lá no Vaticano e os assistentes tentando segurá-lo.
- Senti falta de alguma mulher de pulso firme. Geralmente tem..
- Adorei o ensinamento com a xícara do 'Lama' lá...
- Piloto massa! Pena que  tem o nome da filha da Xuxa!
- Negão Doutor. Ui!
- Me deu uma raiva daqueles meninos atentados e desobedientes. E no final, as pestes ainda ajudavam, ou seja, o filme ensinando as 'crionças' a desobederecem os pais, pois elas servirão para algo. Ai ai.. Super Nany neles!
- Ex é phoda.. O cara nunca deu atenção à esposa e aos filhos quando estavam casados, daí um belo dia, o mundo resolve acabar e ele fica bonzinho. 'Mata' o namorado da ex e ainda fica de heroi na história, sem contar com toda a família reunida.
- Esse diretor gosta de ver o mundo acabar seja como for: alienígenas, gelo ou tudo-ao-mesmo-tempo-agora. O próximo deve ser uma mistura de tudo isso! Ai fica bacana! Alienígenas chegam para invadir o planeta e o negócio aqui já não está bom das pernas com enchentes, geadas, terremotos, tsunamis entre outros. Daí os verdinhos tem que salvar o povo, em vez de se apropriar indevidamente da nossa querida Terra. Uau! Que roteiro! kkkkkk
Estou aberta a negociações...Warner? Universal? Até a Pixar tá valendo... kkkk


Bom. Acredito que foram essas coisinhas que chamaram minha atenção. Hoje não estou com bom humor. Piadinhas de péssimo gosto (ou não!)
Calor demais que atrapalha até o sono! Comprarei um ar-condicionado urgentemente, senão não há como escrever uma dissertação diretamente da filial do inferno, vulgo Palmas.

Inté.

p.s: novidades já estão por aí, só estou terminando de organizá-las para anunciá-las! :D
________________________________
Vejam isso..
Gente que loucura esse site!
O Fim do Mundo
Fiquei com medo! Sério!
Fala de como se proteger desse mal irremediável e ainda, o que fazer caso não acabe mesmo em 2012 (O.0)...
Dá uma vontade de rir, mas ao mesmo tempo vem um frio na barriga.. Ui!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Velha Infância

Hoje em emocionei.
Assisti os Changeman na Rede Brasil.
Para quem não sabe e não teve infância nos anos 80 e 90, os Changeman foram os 'pais' dos Power Rangers!



Saiba Mais
Dengeki Sentai Changeman (em japonês: 電撃戦隊チェンジマン Dengeki Sentai Chenjiman?, traduzido e lançado no Brasil como Esquadrão Relâmpago Changeman) é uma série de televisão japonesa do gênero tokusatsu, parte da franquia dos Super Sentais. Produzida pela Toei Company, foi originalmente exibida pela TV Asahi entre 2 de fevereiro de 1985 e 22 de janeiro de 1986, sucedendo Bioman e antecedendo Flashman. Fez grande sucesso em seu país de origem e no Brasil, onde inicialmente estava disponível apenas em fitas de vídeo distribuídas pela Everest Vídeo (mais tarde Tikara Filmes). Posteriormente, passou a ser exibido na televisão a partir de 1988 pela extinta Rede Manchete e, mais tarde, pela Rede Record e pela TV Gazeta.

(Fonte: Wikipédi - http://pt.wikipedia.org/wiki/Esquadr%C3%A3o_Rel%C3%A2mpago_Changeman )

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Caindo a ficha!

Ok.
As aulas começarão na próxima semana e estou no processo de 'organização', tanto da rotina quanto de ideias.  Desde a sexta-feira de Carnaval  foram dez dias de festa (intensos)!
Agora é limpar a poeira, deixar de tocar axé no player e enfiar a cara nos livros. Isso mesmo, virar uma traça!
E para minha alegria, já tenho dois congressos para ir. E para minha (maior) alegria, tenho a possibilidade de submeter artigos e quem sabe, publica-lós nesses eventos. :D
É isso aí, engordando o Lattes! rsrs
Enfim. Nesses próximos dois aninhos de Mestrado, a moça aqui vai só estudar.
(Viajar, quem sabe, né?)
E qualquer coisa relacionada a sentimentos será tratado com o mínimo de prioridade. Cansei de acreditar nas promessas dos outros. Isso fica cada vez mais difícil para mim... Então é melhor afastar logo..
O Várias Anas receberá mais 'coisinhas' legais que logo logo explicarei para vocês leitores.
Beijos e até breve!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

É Carnaval.

Sexta-feira de Carnaval e a 'Isaura" trabalhando...
É mole?
Enfim, vida de jornalista!
Vontade era de está lá na terra de Castro Alves, minha querida e 'farreira' Salvador (BA)...
Meus primos estão lá e querem me matar (de inveja) e ligam perturbando o meu juízo. rsrsrs
Mas, como não sou bobinha, comprei o abadá do Tropalôka e vou curtir meu carnavalzinho em Palmas mesmo.. Em casa é que eu não fico!
Obriguei (usando meu poder de persuasão) cinco amigos a pularem o carnaval comigo e eles vão!
Adoro.
Então.
Como boa foliã, repasso para vocês algumas dicas para curtir os cinco dias de festa do Rei Momo. Eis que são:
  1. Arrume um amigo que não vá para o carnaval (soa estranho, mas é possível) e peça para que ele seja o motorista da galera. É a melhor forma de curtir, porque você não é extorquido pelos flanelinhas e pode beber até pedir para "não coloca mais cerveja não, pelo amor de Deus", sem contar que fica bonitinho com a Lei.
  2. Beba água! Muita água. E lembrando que, cerveja não é água!  Ahh.. E não mistura bebida quente (vodka, por exemplo) com fermentada (cervejinha) é amnésia na hora. Até porque você não vai querer atrapalhar a farra dos seus amigos, daí eles ficam P da vida e te largam na jargeta. (Que fique claro que eu nunca deixei um amigo nesse estado, mas que dá uma vontade, isso dá!)
  3. Alimente-se antes de ir para a gandaia. Tenha algo no estômago caso queria chamar o 'hugo', pois ver só aquela coisa amarela (vulgo bili) não rola, né? E ajuda evitar um coma alcoólico.
  4. Vá de tênis VELHO, pois além de evitar bolhas nos pés, ele vai ficar 'pôdre' de sujo e nojento. E tem mais, esse negócio de ir de salto e rasteirinha só prejudica a humanidade. O primeiro é quase que um homicídio doloso aos pés de todos que estarão ao redor da criatura, o segundo é para quem está louca para ficar sem a unha do pé.
  5. Seja natural. Chapinha em Carnaval? Isso é coisa de louco né? Como filosofei certa vez com minha amiga:. _Porquê as patricinhas não suam e conseguem ficar lindas a noite toda? _ Porquê elas não curtem a noite!
  6. Você vai ao banco? Fazer concurso? Ou ser contratado em alguma empresa? Para quê levar TODOS os documentos 'do mundo' para a folia? Leva só um. Fica mais fácil de resolver sua vida, caso ele suma.
  7. Isso vale para o celular também! Marcou com os amigos de se encotrarem em tal lugar? _ 'Te vira' e chega lá. Vai levar celular só para dar motivo para os outros te roubarem.
  8. Câmera fotográfica? Por favor, deixe com o amigo mais esperto, caso você seja 'lerdinho', ele vai saber tirar foto, beber, pular e não ser roubado.
  9. E o zumbido no ouvido dia seguinte? Só tem uma explicação: ficou que nem mané ao lado do trio né? Porquê será que as pessoas dizem vá ATRÁS do trio? Para melhorar isso, fique em lugar silencioso e calmo, tipo cachoeiras de Taquaruçu. :P
  10. A ressaca! Essa bendita que persegue os foliões. Tem jeito não, é curtir a ressaca também! Tome água e suco, coma frutas e doce.. muito doce. Eu recomendo rapadura! :D
  11. Como diz Ivetinha, "comigo é na base do beijo, comigo é na base do amor" não banque o adolescente, que nunca foi em um carnaval e sai beijando todo mundo. Conquiste.. troque olhares! Eu considero isso o mais bacana nessa festa, porque você dança, canta, pula e quem sabe beija na boca! Pegação de carnaval não é regra é acaso.
  12. Era para ser só um pouco, daí lembrei da mais importante: - Tenha sempre em mãos suas camisinhas . Prevenir é melhor do que remediar, pois a alegria do Carnaval deve durar para sempre e você não vai querer chegar em novembro gastando dinheiro com fralda, sendo que poderia está pagando seu abadá do próximo carnaval, não é mesmo?
Tudo issso ai foi lido nos sites "Boa Saúde" e "G1", além de experiência própria (obviamente).
Bom carnaval e evite brigas!
Beijos!

Abaixo uma fotinha para lembrar de Salvador, no bloco EVA, em 2008! :D


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

'A' Entrevista - II

Três amigos em busca de auto-conhecimento, além de encontrar as belezas do povo e da natureza brasileira. Esse é o objetivo da Expedição Conectando que saiu do Rio de Janeiro no dia 22 de outubro de 2009, e pretende percorrer grande parte da região sudeste, centro-oeste, norte e nordeste do país, desbravando lugares desconhecidos pela maioria da população.
Angelo Corso Machado é advogado, Marcelo Toledo é marceneiro e Fábio Corso Brasão é professor de educação física. Eles pedalam em média 100 km por dia, em estradas de chão, e 150km no asfalto. Roupas, sacos de dormir, barracas, fogareiro, medicamentos, peças de reposição entre outros fazem parte da pequena bagagem desse aventureiros.
A trupe já percorreu aproximadamente 4 mil km, dos 12 previtos no roteiro e será a a maior expedição do país sem carro de apoio acompanhando os atletas.  O término da Expedição Conectando será no ínicio do mês de abril no Estado fluminense.
Com o mapa do roteiro de viagem e um livro de Vinicius de Moraes, que o idealizador desse projeto, o advogado e agora ciclista Angelo Corso contou sobre as aventuras e supresas que encontraram pelo caminho.



De onde surgiu essa ideia de fazer a expedição?
Eu sempre fui apaixonado por esporte, história, geografia, poesia e natureza. E quando era criança sempre tive contato com a natureza e na escola, um professor de geografia utilizou um método diferenciado em suas aulas, usando o livro de Julio Verne – A volta do mundo em 80 dias – e aquilo me fascinou e fez pensar que queria fazer isso um dia.



O que você fazia antes de entrar nessa aventura?
Eu era advogado e exercia a profissão mesmo, além de dar aula em uma universidade lá do Rio de Janeiro. Desde 1999 que eu vivo nesse universo do terno e gravata e me cansei dessa coisa de formalidade excessiva, muitos conflitos que acabam nos afastando da nossa própria essência.



E quando você decidiu que tinha chegado a hora?
Eu não sabia em que momento ia fazer. Sempre viajei pelo Brasil de carro e já tinha começado com trilhas sozinho pelo Rio de Janeiro, uma delas, aliás, foi na ilha em que houve o desastre em Angra dos Reis, agora em janeiro e é o lugar mais bonito que já vi na minha vida.
No começo, pensei em fazer uma travessia aquática de 24 km em São Paulo. Treinava de três a cinco horas por dia e mudei de ideia por causa de um acidente com amigos.



Que acidente?
O escritório de advocacia em que eu era sócio fechou, pois meus dois sócios principais do escritório morreram naquele acidente da Air France e isso foi fortalecendo ainda mais a minha mudança de vida. Sendo que eu já tinha prometido para mim mesmo que o ano de 2009 seria meu último ano advogando, daí aconteceu isso e resolvi planejar a viagem.



E em quanto tempo preparou a viagem?
Durante três meses desenhei o roteiro que faria nessa viagem e ficava até duas da manhã trabalhando nisso. Separei um cantinho na casa da minha mãe para ir guardando o material da viagem e organizando aos poucos.



E como seus amigos entraram nessa aventura?
Eu queria fazer um roteiro com chapadas, cavernas e rios, além de conhecer o interior do país e está próximo do povo. Eu não via uma outra forma de está perto dessas pessoas, se não estivesse em um veículo que pudesse chegar e poder apertar a mão dos outros, abraçar, manter um contato mais próximo. Daí, no almoço de despedida que fiz na minha casa, o Marcelo resolveu ir e conseguiu dinheiro para me acompanhar penhorando o carro. Meu irmão ficou naquela de cara de ‘cachorro-sem dono” e conseguiu arrumar o dinheiro com um e outro para vir na viagem. Com isso, retardei a viagem em dois dias para que pudesse organizar o material deles.



De onde sairam  e até onde vão?
Saímos de Paraty (RJ) e fizemos o Trajeto do Ouro até Diamantina (MG) e as cidades históricas até Januaria, no extremo norte de Minas, grande sertão veredas e por ai vai. Fomos para Brasília e depois Chapada dos Veadeiros, onde passei o pior momento da viagem.
Na maior parte dos lugares que vamos, sempre acrescentamos outros destinos que são indicados pelos moradores locais e foi asism que chegamos logo depois no Parque Estadual do Terra Ronca (GO). De lá fomoa para o Jalapão e depois vamos para a Ilha do Bananal e Lagoa da Confusão que foram incluídas no roteiro essa semana. Depois vamos para o sul do Pará, Manaus (AM), Pico da Neblina, que fica no extremo norte do Estado do Amazonas. Dali vamos para o Amapá, Pará passando por Belém, depois interior do Nordeste até chegar no Rio.



E como foi esse momento ruim na Chapada dos Veadeiros?
Foi no dia 16 de dezembro. Acordei meio de ‘ovo-virado’ e fui na cachoeira Vale da Lua, que fica dentro da Chapada dos Veadeiros. Chegando lá, um lugar lindo, mas vi que a correnteza estava forte e sai da água. Tinha um casal no local também, daí fui andar pelas pedras e vivi minha cena de terror, pois quando olho para o fundo de um buraco enorme, que pareceia uma banheira, vi um corpo boiando na água e não acreditei naquilo. Fiquei sem saber se pulava ou não para ajudar e percebi que estava morto. A menina tinha caído com o namorado lá dentro, devem Ter escorregado nas pedras. Corri até a portaria e chamamos os bombeiros para tentar resgate. O corpo do namorado estava no fundo dessa ‘banheira’ e fiquei mais chateado, pois acredito que tenha acontecido enquanto eu estava no local e pelo barulho da cachoeira não pude escutar algum pedido de socorro. Eu nem quis olhar para o rosto da menina, porque até hoje sonho com essa cena. Você se sente impotente.



E o que mais te motiva em fazer essa expedição?
Testar meus limites e me conhecer melhor. É muito interessante quando os caminhoneiros param do seu lado e você está pedalando no sol de rachar. Eles te oferecem carona e você recusa, te conseideram um louco, mas você quer viver aquilo e saber até onde isso pode te levar.



E patrocínios?
Estamos bancando do próprio bolso. Montei uma empresa que organiza eventos esportivos e para essa expedição temos alguns ‘apoios’, no caso é da padaria da minha mãe e da loja do meu amigo lá no Rio. Em Minas por exemplo, teve lugares que as pessoas nos convidavam para ficar hospedados em suas casas, isso ajuda muito economizar. Teve gente que amarrou nossas bicicletas para que não fossemos embora.



Algum plano para o futuro?
Futuramente essa aventura vira um livro e devemos fazer também uma exposição de fotos. E vai servir para muita coisa principalmente como lição de vida para mim e quem ler esse livro que conterá poesias, narrativas e muitas fotos. Quero continuar com expedições e viver disso.



*Na foto - Angelo, Marcelo e Fábio na Cachoeira da Velha - Jalapão - Tocantins.

Mini SP?

Dias de chuva em Palmas.
O que acontece com a drenagem e a rede de esgoto pluvial da nossa Capital?
Avenida Theotônio Segurado próximo ao Palácio Araguaia e Hotel Rio Sono.
Isso é sério e pode piorar a cada ano.