Procura ai...

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Cores, irmãos e 2011..


Adoro essa coisa de usar algumas cores para 'influenciar' o próximo ano.
Na virada do ano passado usei azul e amarelo: foi ótimo! E deu até certo!
Esse ano minha aposta é no cinza, rosa e uma pitada de azul e vermelho.
Encontrei esse significado das cores e gostei muito! Divido com vocês!
Aqui em Portugal, as pessoas não têm o costume de usar determinada cores.
Conversando com minha colega de quarto ela me disse que na Romênia eles têm o costume de colocar dinheiro no bolso para que no ano que se inicie nunca falte e sempre tenha em mãos! Adorei!
Já tinha separado um $$ para colocar no bolso sem saber disso. Agora que sei que o 'trem' funciona mesmo, mãos à obra! rsrsrs
E claro que eles também vão usar cores claras, pois lhe contei da tradição no Brasil de usarmos sempre branco, amarelo ou alguma cor referente a um desejo que você quer concretizar no ano que se inicia..
Bom, estamos organizando o nosso apê para a festinha de Revéillon! Estou feliz!
Vou passar a virada de ano com minha irmã postiça, a Roxana. No Tocantins, sempre que passo a virada do ano com meus irmãos, o ano seguinte é PERFEITO. Nesse ano eles não estão ao meu lado, mas estão no meu coração e será com se estivessem 'grudadinhos' comigo! Ai que saudade deles!
Bom, é isso! Os significados das cores logo abaixo e Feliz Ano Novo e até ano que vem! :D

  • Preto: está associado à ideia de morte, luto ou terror, no entanto também se liga ao mistério e à fantasia, sendo hoje em dia uma cor com valor de uma certa sofisticação e luxo. Significa também dignidade.
  • Branco: associa-se à ideia de paz, de calma, de pureza. Também está associado ao frio e à limpeza. Significa  inocência e pureza.
  • Cinza: pode simbolizar o medo ou a depressão, mas é também uma cor que transmite estabilidade, sucesso e qualidade.
  • Bege: uma cor que transmite calma e passividade. Está associada à melancolia e ao clássico.
  • Vermelho: a cor da paixão e do sentimento. Simboliza o amor, o desejo, mas também simboliza o orgulho, a violência, a agressividade ou o poder.
  • Vermelho Escuro: significa elegância, requinte e liderança.
  • Verde: significa vigor, juventude, frescor, esperança e calma.
  • Verde Escuro: está associado ao masculino, lembra grandeza, como um oceano. É uma cor  que simboliza tudo o que é viril.
  • Verde Claro: significa contentamento e proteção.


  • Amarelo: transmite calor, luz e descontracção. Simbolicamente está associado à prosperidade. É também uma cor energética, activa que transmite optimismo. Está associada ao Verão.
  • Laranja: uma cor quente, tal como o amarelo e o vermelho. É pois uma cor ativa que, significa movimento e espontaneidade.
  • Azul: a cor do céu, do espírito e do pensamento. Simboliza a lealdade, a fidelidade, a personalidade e subtileza. Simboliza também o ideal e o sonho. É a mais fria das cores frias.
  • Azul-Escuro: considerada uma cor romântica, talvez porque lembre a cor do mar, no entanto é uma cor que se associa a uma certa falta de coragem ou monotonia.
  • Azul- Claro: significa tranquilidade, compreensão e frescura.
  • Castanho: a cor da Terra. Esta cor significa maturidade, consciência e responsabilidade. Está ainda associada ao conforto, estabilidade, resistência e simplicidade.
  • Roxo: transmite a sensação de tristeza. Significa prosperidade, nobreza e respeito.
  • Lilás: significa espiritualidade e intuição.
  • Rosa: significa beleza, saúde, sensualidade e também romantismo.
  • Rosa Claro: associado ao feminino. Remete para algo amoroso, carinhoso, terno, suave e ao mesmo tempo para uma certa fragilidade e delicadeza. Está ainda associado à compaixão.
  • Salmão: associado à felicidade e à harmonia.
  • Prateado ou Prata é uma cor associada ao moderno, às novas tecnologias, à novidade, à inovação.
  • Dourado ou Ouro está simbolicamente associado ao ouro e à riqueza, a algo majestoso.

Feliz Ano Novo



"O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história.
O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o aqui e o agora. Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o pneu fura, chove demais… mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia?

Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho? Quero viver bem. Se o ano que acabou foi um ano cheio de coisas boas, mas também cheio de problemas, perdas e desilusões. Normal. Às vezes se espera demais das pessoas. Normal.

A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou. Muda o século, o milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí? Fazer o quê? Acabar com seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança? O que eu desejo para todos nós é sabedoria! 

E que todos saibamos transformar tudo em uma boa experiência! Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. O nosso desejo não se realizou? Beleza, não tava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento (me lembro sempre de um lance que eu adoro: 'CUIDADO COM SEUS DESEJOS, ELES PODEM SE TORNAR REALIDADE'). 

Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso. Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes. Desejo para você esse olhar especial. 

O ano que vai entrar pode ser um ano especial, muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso. Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro. O ano que vai entrar pode ser o bicho, o máximo, maravilhoso, lindo, espetacular... ou... Pode ser puro orgulho! Depende de mim, de você! Pode ser. E que seja!!! 
Feliz olhar novo!!! Que o ano que se inicia seja do tamanho que você fizer. 

Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para repensarmos tudo o que fizemos e o que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!!!"

Carlos Drumond de Andrade

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

E das 'Resoluções para 2010'...



Todo final de ano é o mesmo dilema: o que eu fiz de bom e o que devo fazer para o próximo?
Sempre é assim e não vai mudar. Como meu ano ainda não terminou e só começa em 9 de Fevereiro de 2011 (quando eu pisar no Brasil de novo), eis que vou apenas analisar o que eu fiz até agora, até porque eu publiquei aqui no blog uma 'listinha' com as 'Resoluções para 2010'.
Vamos ver o que Dona Poliana fez com esse ano. [Isso será interessante!]

De acordo comigo (rsrsrs)..

E o que eu tinha definido para 2010 foi:
1 - Priorizar o que me faz bem, independente do que os outros pensem;
E tudo que me fez bem ficou ao meu lado! Gente negativa e coisas negativas, fiz o favor de afastar da minha vida! Deu certo demais! [CONTINUA EM 2011]
2 - Fazer o que eu gosto, mesmo que seja fazer nada;
Taí uma coisa que fiz e fiz com vontade mesmo! Só fiz o que eu quis! Foi bom. Como foi bom! Se quisesse sair, saia. Se não quisesse, não saía. Não fui 'conduzida' por ninguém, nem fiz gosto de ninguém! Estive onde, quando e com quem eu queria está! [CONTINUA EM 2011]
3 - Visitar meus amigos que moram longe;
Esse não deu! Bem que tentei! Encontrei alguns no Tocantins, como por exemplo, a Fernanda - PB e o Antonio Fabrico - MA. Vi minha prima Mayanne no São João, vi uns primos da Bahia e outros de Brasília! Vixi! Foi bom demais, uai.. Já deu para matar a saudade! [MELHORAR EM 2011]
4 - Viver intesamente meus projetos;
Vivi! Estou vivendo! Fazendo intercâmbio em Portugal, conhecendo gente diferente! Focando nos meus objetivos de vida! \o/ [CONTINUA EM 2011]
5 - Estudar muito;
Estou estudando, mas sempre acho que poderia estudar um pouco mais! Estudar nunca é o bastante.. [MELHORAR EM 2011]
6 - Trabalhar muito;
Bem que eu tentei! Mas se bem que nos três primeiros meses do ano, como trabalhei! Aff! Trabalhei demais, daí passei no Mestrado e resolvi estudar. Não dá para fazer bem feito duas coisas ao mesmo tempo! Em 2011 quero trabalhar! Trabalhar mesmo e na área que eu escolhi: a academia! Agora falta passar em algum concurso ou conseguir alguma contratação! [PRESERVERAR EM 2011]
7 - Continuar magra;
Fui bem sucedida nessa meta até novembro desse ano. Vim para Portugal, inverno, frio.. Sabe como é. Acabei engordando 5kg em 3 meses! Vê se pode! Mas minha meta de 2010 está firme, pois começo frequentar a academia segunda-feira. Ai de mim, voltar para o Brasil com cara de bolacha Traquinas! Ohhh vida! [MELHORAR EM 2011]
8 - Fortalecer minha fé;
Fortaleci e MUITO! Fui no Santuário de Fátima e foi maravilhoso! Sinto-me melhor, mais humana e mais convicta que isso tudo aqui é passageiro. Estou mais perto de Deus como nunca estive em toda minha vida! [CONTINUAR EM 2011] 
9 - Terminar meu curso de inglês;
Tive que parar, né?! Porque vim para o intercâmbio, mas o bom disso tudo é que estou treinando o idioma com minha colega de quarto (que é romena), mas as vezes dá uma preguiça de pensar em inglês! E outra coisa boa é que, como fiz amizade com um grande número de espanhóis, treino muito meu espanhol. E está muito bom! Tenho recebido elogios! Vale! Vale! [MELHORAR EM 2011]
10 - Guardar grana;
Xii. Isso é que não deu mesmo! Fiquei sem emprego,  a bolsa do Mestrado demorou uns 4 meses para cair e ainda tive que vender o carro! Em questões de $$ não fui bem favorecida em 2010! Mas deu tudo certo. Para não ter problema já guardei 40 euros para passar com eles no bolso na hora da Virada! Pelo menos na hora da virada tem que ter um dinheiro no bolso para ver se chama.. rsrsrs (primeira vez que vou passar com $$ no bolso, vamos ver se dá certo!) [APERFEIÇOAR BASTANTE EM 2011]

Certo. Esses foram meus planos para 2010 e acredito que me sai bem. 
Não vou planejar nada para 2011. Quer dizer, vou sim, mas só quando meu 2011 começar!
Sobre 2010, posso até dizer que me surpreendi com tudo que fiz nesse ano, mas isso é algo para outro post. Quem sabe o próximo?

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

E passou o Natal e eu?


ENGORDEI!
Sim.
Constatei esse fato na casa da mãe da Helena.
A mocinha aqui está com 58kg! OMG! Vim para Portugal pesando entre 53 e 54 quilos e consigo fazer essa proeza. Mas isso já era de se esperar. Emagreci 1,5kg quando cheguei em Braga e acredito que o que ocasionou isso foi o fator psicológico.
Bom, mas voltando a minha gordura.
Consegui aumentar mais 1 quilo nesse Natal por causa que chutei o balde e resolvi comer
mesmo a ceia portuguesa. Isso é intercâmbio cultural! rsrsrs
Mas enfim, chega de graça, pois daqui 40 dias retorno para o Brasil e o verão lá estará a mil.
E claro, que a moça aqui não pode descer do avião da TAM rolando no aeroporto Brigadeiro Lysias Rodrigues, não é mesmo?
Já li algumas coisas sobre dietas e resolvi fazer a da sopa.
Quando eu fiquei doente e atacada da gastrite no ano passado, vivi só na sopinha e perdi 5kg (foi ótimo). Nunca tinha me sentindo tão bem fisicamente, acho que o fato de ter modificado minha alimentação favoreceu esse 'sentimento'. Minha vida era frutas, comidas leves, sucos e de vez em quando um pecadinho, como por exemplo, comer uma pizza com os amigos.
Até tinha parado de beber cerveja.
Era uma pessoa tão mais leve.
E sim, praticava exercícios na Praça dos Girassóis.
Corria e corria. Como no filme Forrest Gump (Run, Forrest! Run, Forrest!)..
Aí! Como era bom! Quero isso de novo e terei.. Agora é focar nessa meta de perder de novo mais 5kg..
E tudo culpa do inverno, dos doces portugueses e de mim que não fecho a boca..
Li algumas matérias e no site da revista Boa Forma tem uma dicas legais e que me identifiquei na hora!
Olha só a explicação que a revista dá para meu desespero:

"O inverno combina com... comida. Não é à toa que o apetite aumenta nos dias frios. O organismo gasta mais energia para manter a temperatura interna ideal, em torno de 36 graus. Abaixo disso, dispara uma espécie de alarme que vai direto para o cérebro, como um aviso: atenção, o combustível está acabando. É preciso compensar esse descontrole térmico. E o papel das calorias é justamente esse — repor a energia perdida."


Ok. Motivos até que tenho, mas não justifica esses quilos à mais.
É isso. Academia logo no dia 4 de Janeiro e dieta começando hoje!
Hasta luego! \o.


p.s: sabe o que é pior? aquelas 'coisas', vulgo dobrinhas, que aparecem nas suas costas quando você vira.. ahhh.. socorro!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Para minha família...

Família Macedo: na década de 80! Muita gente já se foi e muita gente chegou!


Pediram-me para escrever algo que fosse lido no dia da Ceia de Natal que tradicionalmente reúne filhos, pais, netos, genros, noras e os agregados da família Macedo.
Eu como sempre sou forçada a falar por ser ‘a manda chuva’ entre os netos e tal. Não gosto de falar em público e prefiro escrever. Por isso que não foi tão difícil assim expor o que queira que cada um soubesse nessa noite. E o que eu posso dizer?
Simplesmente, que queria está com todos vocês partilhando esse momento que para alguns é um saco, outros vão porque “é o jeito”, outros só para comer,  outros também para marcar presença, além dos jovens que não vêem a hora de ir para o Kennedy para curtir com a sua ‘galerinha’,  e ainda, que maravilha, têm as pessoas que vão porque realmente gostam de está junto com a baianada.
Isso mesmo, somos, a baianada. Que conversam todos ao mesmo tempo (alto, diga-se de passagem), que se preocupam uns com outros, que unem-se na saúde, na doença, na alegria e na tristeza. Somos um casamento de quase 50 pessoas!
Ficamos chateados por bobagem, por exemplo, se ‘fulano’ for em Araguaína, Guaraí ou Kennedy e não passar na casa do ‘cicrano’.. Ai, pronto! Ahh e tirando exceções, ninguém vai me visitar em Palmas, viu... E eu sei quando vocês estão lá: esqueceram que sou Jornalista!
Muitas vezes não damos valor o ‘estar com a família’. E isso não deveria acontecer, principalmente agora, e não só no Natal. Devo ter a imagem de ser a neta “ovelha negra da família” por ser a única que mora longe, não tão longe assim, e que quase não vai visitar os parentes, seu Waldir e Dona Laurinda que o digam.. . Não é porque eu não queira, mas também não sei explicar o porquê.
Mas o que eu queira que todos soubessem é que sinto falta de estar com vocês hoje. As vezes deixamos de ir em algum ano ceiar com toda a família, mas percebam que no ano seguinte, quem não foi, está lá super animado. O ser humano precisa sentir falta para saber que realmente ama algo ou alguma coisa. E nesse caso, é a família Macedo.
Esse povo que acorda cedo e fica reunido na cozinha da Dona Maria fazendo nada! Só para está perto. Não se enganem, isso é maravilhoso! Acreditem mas, não sabemos que são esses detalhes do dia-a-dia  que realmente importam e que realmente fazem sentido nessa vida. Porque senão, porque Deus ia colocar todos juntos em uma mesma família?
Apesar das diferenças de personalidades somos um. Alguns estão presentes em todos os momentos da nossa vida, porém outros em determinadas fases.  Mas todos contribuindo de alguma forma para fortalecer nossa família.
Sinto tanta saudade. De verdade.
Pensei que não tivesse raízes tão profundas no Brasil como percebo que tenho agora... E sempre valorizei minha família. Todos, sem distinção. Defeitos? Todos temos. Qualidades? Nossa Senhora! Temos muitas.
Então meu pedido para esse ano que termina e para o próximo que se inicia é que todos nos consigamos focar nas qualidades uns dos outros. Temos que ser mais que amigos, mais que irmãos, mais que filhos, mais que primos, mais que maridos ou esposas, temos que ser um FAMILIA.
Desejo um feliz Natal para todos os meus tios e tias de sangue, tios e tias emprestados, Vó Maria, Vô Dezão, primos mais gatos do Brasil, padrinho e madrinhas, as primas mais sorridentes do mundo, meus irmãos lindos e meus pais maravilhosos.
Não vamos esperar ninguém morrer, ficar doente ou quase morrer para dizer que essa pessoa é importante. Faça com que ela saiba isso agora!
E meu último pedido dessa noite, é que ao desejar feliz Natal uns para os outros peçam perdão por alguma falha e digam sem medo ou machismo que você ama pessoa que está abraçando.. Só isso!
Então, começando por mim, Poliana Macedo de Sousa: Feliz Natal, perdoem-me por alguma falha e amo vocês!

Feliz Natal!
Em 2006, no churrasco do dia 25 de Dezembro. Não estamos nem a metade!

CarnaNeve!

Me lembrou do Carnaval, do meu Brasil e ri muito!
O frio é desse jeito mesmo, viu..

Os Sem Família..

E/D: Eu (TO), Fabricio (DF), Hermes (PB), Carol (PB) e Jeison (MT).

Sim.
Somos nós. Um pequeno de grupo de amigos (amigos?sim!) que em pouco tempo criaram laços de fraternidade e carinho. Nós somos a família bacarense. Brasileiros. Longe de Casa nesse Natal.
O que nos une? A saudade.
E o que nos deixa mais fortes? A certeza que voltaremos!
Obrigada por dividirem esse momento comigo e fazerem desse "Natal" (bem diferente, diga-se de passagem) algo mais próximo da nossa realidade tupiniquim: o valor de está perto e vivendo como irmãos.

Feliz Natal!

p.s: falta a Helena que ficou preparando os docinhos para a gente devorar amanhã em Viana do Castelo.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Grey's Anatomy



Um dos seriados que assisto aqui em Braga é Grey's Anatomy.
Só saio do meu quarto para assistir esse e mais três, nesse caso, The Simpsons, Family Guy e American Dad. [tudo desenho] Adoro desenho e adoro rir. Então..
Bom, mas do que gosto mesmo em Grey's Anatomy são os pensamentos de cada episódio.
[tirando o lindo-tudebom-queropramim do Drº Mark Sloan]
Como não tenho nada para fazer nessa vida (devia está terminando de ler um livro sobre festas e ritos em espanhol) vou disponibilizar alguns dos meus pensamentos favoritos para vocês!

“PASSAMOS TODA A VIDA A PREOCUPARMO-NOS COM O FUTURO. FAZEMOS PLANOS PARA O FUTURO. TENTAMOS PREVER O FUTURO. COMO SE DESVENDÁ-LO FOSSE ALIVIAR O IMPACTO. MAS O FUTURO ESTÁ SEMPRE EM MUDANÇA. O FUTURO É O LAR DOS NOSSOS MEDOS MAIS PROFUNDOS E DAS NOSSAS MAIORES ESPERANÇAS. MAS UMA COISA É CERTA: QUANDO ELE FINALMENTE SE REVELA, O FUTURO NUNCA É COMO IMAGINÁVAMOS.”

“CLARO QUE DESCULPAS NEM SEMPRE CONSERTAM AS COISAS. TALVEZ PORQUE USAMOS DEMAIS E DE DIFERENTES FORMAS, COMO FORMA DE AMOR, COMO FUGA. MAS QUANDO REALMENTE ESTAMOS ARREPENDIDOS, QUANDO TENTAMOS CONSERTAR, QUANDO REALMENTE QUEREMOS E QUANDO CONSERTAMOS, DESCULPAR É PERFEITO. QUANDO FAZEMOS CERTO, DESCULPAR É NOS REDIMIRMOS.”

“ENTRAMOS NESSE MUNDO SOZINHOS E SAÍMOS DELE SOZINHOS. E TUDO QUE ACONTECE ENTRE ISSO? DEVEMOS A NÓS MESMOS ENCONTRAR UMA COMPANHIA. PRECISAMOS DE AJUDA. PRECISAMOS DE APOIO. CASO CONTRÁRIO, ESTAMOS NESSA SOZINHOS. ESTRANHOS. DESLIGADOS UM DOS OUTROS. E ESQUECEMO-NOS O QUANTO CONECTADOS ESTAMOS. ENTÃO, AO INVÉS DISSO, ESCOLHEMOS O AMOR. ESCOLHEMOS A VIDA. E POR UM MOMENTO NOS SENTIMOS UM POUCO MENOS SOZINHOS.”

 

“ALGUMAS GUERRAS NUNCA TERMINAM. ALGUMAS ACABAM EM TRÉGUAS DESCONFORTÁVEIS. ALGUMAS GUERRAS RESULTAM EM TOTAL E COMPLETA VITÓRIA. ALGUMAS GUERRAS ACABAM COM PAZ. E ALGUMAS GUERRAS ACABAM COM ESPERANÇA. MAS TODAS ESSAS GUERRAS SÃO NADA COMPARADAS COM A MAIS ASSUSTADORA DE TODAS: AQUELA QUE VOCÊ AINDA TEM QUE LUTAR.”



“NASCEMOS, VIVEMOS, MORREMOS. ÀS VEZES NÃO NECESSARIAMENTE NESSA ORDEM. COLOCAMOS AS COISAS PARA DESCANSAR APENAS PARA RESSUSCITÁ-LAS DE NOVO. ENTÃO, SE A MORTE NÃO É O FIM, COM O QUE É QUE AINDA PODEMOS CONTAR? PORQUE NÃO DÁ PARA CONTAR COM NADA NA VIDA. A VIDA É A COISA MAIS FRÁGIL, INSTÁVEL E IMPREVISÍVEL QUE EXISTE.”



domingo, 19 de dezembro de 2010

Toy Story 3


Eu assisti online.
Que lindo filme!
O mais emocionante da trilogia. 
Nos mostra claramente lições de amizade, lealdade, confiança e amor.
Do resumo (by Wikipédia) Andy irá para a faculdade e terá que decidir o que fazer com seus brinquedos: se vai jogá-los fora ou guardá-los no sótão. Ele resolve guardar seus brinquedos e colocá-los em um saco (exceto Woody, que irá para a faculdade). Porém, sua mãe confunde o saco com um saco de lixo e os brinquedos acabam no lixo. Quando os brinquedos conseguem se livrar do caminhão de lixo, Woody explica que Andy os guardaria no sótão, mas ninguém acredita e eles acabam indo para a creche Sunnyside. Quando chegam em Sunnyside, todos os recepcionam muito bem, e os brinquedos vêem uma chance de melhorar de vida. Porém Woody, que nunca concordou em abandonar Andy, sai da creche e tenta voltar pra casa. Já os brinquedos acabam descobrindo que Sunnyside não é tão legal quanto pensavam.
Nossa! Como eu ri..
Principalmente nas cenas do Ken 'desfilando' para a Barbie e do Buzz em versão espanhola.
Sem contar com os efeitos especiais. Show de bola!
A-D-O-R-E-I
Quem quiser assistir pela internet clique aqui ou então vá alugar em algum locadora.
Recomendo.
\o/



Das cenas que mencionei..



  • Ken's Fashion Show!





  • Spanish Buzz! 




Chorei de rir!
kkkkk

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Então é Natal?



“Então é Natal e Ano Novo também...”
Para mim, não!
Quem me conhece sabe o quanto sou ‘dengosa’ e gosto de estar perto da família principalmente nas festas de final de ano. Dispenso tranqüilamente uma viagem badalada de réveillon para ficar perto dos meus irmãos, primos, tios, pais...  Enfim, meu povo. Não só porque eles são a animação em forma de gente, mas porque está perto deles me fortalece e faz perceber o que a vida nos dá de melhor: as pessoas.
Um amigo me disse hoje. “Do jeito que você é deve está sendo difícil, mas ‘guenta’ aí mulher!”
Estou agüentando. Eu acho... Já chore, mas sacodi a poeira e lembrei de Scarlett O'Hara no filme “E o vento levou..” quando ela  diz: "De qualquer maneira, amanhã é um novo dia".
Sei que viver esse intercâmbio me trará frutos. (Tomara Deus, né?)
Esse ano minhas festas de final de ano serão diferentes. Primeiro, passarei o Natal na casa de uma amiga portuguesa com mais quatro brasileiros de cantos diferentes. Vamos conhecer as comidas típicas da refeição natalina portuguesa, porém com uma família que não tem a tradição de comemorar Natal. Considero a atitude das duas uma prova de carinho muito grande, pois estão fazendo isso para que nós (brasileiros) nos sintamos mais em casa e longe do estereótipo que os portugueses são rabugentos (alguns são sim.. rsrsrs)!
Mas, se me entendem, não será a mesma coisa. Apenas será...
Fico lembrando de como é o Natal na casa dos meus avós maternos. Desde a organização até a hora de dizer ‘tchau’ no dia seguinte. É tudo tão divertido. Durante todo o dia 24 de Dezembro, ficamos todos na cozinha e no quintal ornamentando, cozinhando, conversando, atrapalhando ou simplesmente, vendo a banda passar. Hummm... Só de pensar que não vou comer o bode assado (porque baiano que é baiano tem que comer bode), o pernil, o peru (a coxa sempre é minha, sou a neta mais velha), o arroz à grega e até a salada de pão! 
Isso tudo é tão bom! Sem contar com o amigo secreto, sempre demorando duas horas, até porque somos mais de 50 pessoas! E no dia 25 de Dezembro, as sobras da Ceia de Natal e um bom churrasco com direito 'aquela' cervejinha e caipirinha entre os primos e tios. \o/
Saudade! Saudade! Saudade!
Agora, a virada de ano não planejei nada. E nem vou planejar. Era para ter ido para uma vila lá na Alemanha com minha amiga portuguesa, mas minha vida de estudante-pobre-na-europa não permite. E não vou sentir falta de ir não. Não estava à vontade para ir mesmo. Pessoas que não conheço e por mais que tenha gastado com a passagem (77 euros.. :P), queria ficar quieta... Aliás, vou!
Meu réveillon, pelo que tudo indica, será no meu cubículo junto com minha colega de quarto romena, eu usando uma roupa nova azul e branco (prosperidade e paz), uma peça íntima cor de rosa (quero amor para 2011), de celular à postos ligando para os familiares e amigos desejando um bom ano, comendo atum com torrada e tomando meu champanhe. Pronto! Chique demais...
Não estou em clima de festa. Estou com saudade de casa. Meu ano só começa no dia 9 de fevereiro, que é quando chego no Brasil. Está frio, engordei um pouquinho (saco, viu!), minhas articulações doem e nem tenho ânimo para sair. Sem contar que tenho muitos trabalhos para fazer, dois por sinal, para serem entregues na primeira semana de janeiro! Muita coisa para ler, assimilar, escrever... escrever... escrever!
Não estamos de férias, mas sim, na metade do semestre. Daí já viu..
É isso. Aliás, será isso meu "final de ano"...
Mas para quem terá Natal e réveillon desejo amor. 
Do amor surgiram todos os outros sentimentos..
Feliz Amor para todos!
Feliz Natal!
Feliz 2011!
:D
p.s: OFF por uns dias por causa dos trabalhos, mas antes do final do ano, volto aqui. 

O Cinema e suas frases marcantes...



De qualquer maneira, amanhã é um novo dia", Vivian Leigh como Scarlett O’hara em E o Vento Levou
"Vou fazer uma oferta que ele não pode recusar", de Marlon Brando em O Poderoso Chefão
 "Eu poderia ter sido candidato", de "Sindicato dos Ladrões".
“Toto, tenho a sensação de que não estamos mais no Kansas", de Judy Garland, como a Dorothy Gale em O Mágico de Oz
"Estão de olho em você, garota", dita para Ingrid Bergman por Humphrey Bogart em Casablanca.
Com Deus como testemunha, eu nunca mais vou passar fome na vida", Vivian Leigh como Scarlett O’hara em E o Vento Levou..
"Vá em frente, faça o meu dia", de Clint Eastwood em Impacto Fulminante
"Que a Força esteja com você", de Harrison Ford em Guerra nas Estrelas;
"Apertem os cintos, porque vai ser uma noite cheia de solavancos", de Bette Davis em A Malvada;
"Está falando comigo?", de Robert De Niro em Taxi Driver.
"I'll Be Back!", de Arnold Schwarzenegger em O Exterminador do Futuro;
“Meu nome é Bond, James Bond", Sean Connery em 007 Contra o Dr. No;
"Um martini. Mexido, nunca agitado", Sean Connery  em 007 Contra Goldfinger.


Vem mais por aí...
Aguardem!
:D

Imagem do Mês - Dezembro

Na Serra da Peneda - Portugal
Foto de Carlos Santos.

Música do Mês

Hey, Soul Sister! - Train
[Ei, Alma gêmea!]



:D

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Desabafo...

Hoje o post não foi escrito por mim, mas sinto-me contemplada com o desabafo de uma estudante de intercâmbio, a futura Jornalista, Garbiela Lago, que estuda na Universidade Federal do Tocantins e veio estudar durante um ano na Universidade do Minho, em Braga.
Conheço Gabriela.
Divido com ela esse sentimento.
Ela conseguiu expor em palavras tudo o que sentimos por ser mulher 'brasileira' na Europa.
Compartilho com vocês logo abaixo..
Gabriela tem um blog é o http://gabisempreela.blogspot.com/, mas ela ama o rádio!
Parabéns moça!

p.s: juro que tentei encontrar outra imagem da mulher brasileira, mas joguei no Google e só vi bundas e bundas e mais bundas! Triste!
____________________________________________



sEGUNDA-FEIRA, 13 DE DEZEMBRO DE 2010


“Bela, bela, bela...
Ela anda na rua como quem passa na passarela...
O mundo é dela...”

Ultimamente não consigo tirar essa música da cabeça. Para quem não sabe, trata-se da canção de abertura de uma das mais recentes séries da TV Globo. E a explicação é simples. Eu tenho refletido muito sobre a letra, mas principalmente sobre o impacto que a série provoca no imaginário popular. Não só dos brasileiros, mas principalmente dos estrangeiros.
Tudo bem que a series brasileiras não são muito difundidas no exterior, mas a fórmula é a mesma das novelas e filmes tupiniquins.
É surpreendente como a minha impressão sobre mim mesma se transformou desde que saí do Brasil. Diante dos vários papeis que representamos diariamente, essa foi primeira vez que adquiri a consciência da imagem da mulher brasileira mundo a fora. A sensação é dúbia, confrontante, confusa.
A princípio, algo próximo ao constrangedor, ao intimidador. Não, não foi vergonha, mas medo da força, do poder dessa imagem. Eu vim do Brasil “avisada” da imagem negativa que as mulheres brasileiras tinham  na Europa, mas confesso que não esperava sentir o peso disso.
Pela primeira vez na vida, senti o preconceito.O que no Brasil, parecia-me impensável acontecer .Eu branca, magra, classe media, universitária, pais casados, um único irmão,dois cães. O estereótipo da “boa moça”. Pela primeira vez senti o peso de ser mulher. Não só mulher, mas mulher brasileira.
Nos meus primeiros dias aqui, me senti muito desconfortável. Tinha a sensação de que ao abrir a boca e ser notado o meu sotaque, automaticamente apareceria “puta” na minha testa, uma vez que essa é a realidade de muitas brasileiras na Europa.
Por outro lado, um ego que se eleva diante de tantos olhares. Sim, pois “se conhece uma mulher brasileira a distância”, como já me declararam portugueses e espanhóis. E eu creio nessa verdade.
A diferença não está só nas formas e nos traços assimetricamente perfeitos. Está no jeito de andar, de olhar, sorrir. Na forma de se vestir e até mesmo no jeito de como usar o cabelo...


Pára e repara
Olha como ela samba
Olha como ela brilha
Olha que maravilha
(Lourinha Bombril, Os Paralamas do Sucesso)


Sim, porque só os traços e formas não alcançariam as diferentes mulheres brasileiras. Uma vez que qualquer biotipo pode representar o da mulher brasileira. Somos muitas, somos muito!


“Essa crioula tem o olho azul
Essa lourinha tem cabelo bombril
Aquela índia tem sotaque do Sul
Essa mulata é da cor do Brasil

A cozinheira tá falando alemão
A princesinha tá falando no pé
A italiana cozinhando o feijão
A americana se encantou com Pelé”
(Lourinha Bombril, Os Paralamas do Sucesso)

Mas infelizmente já se tem consolidado um estereótipo: mulher de pele bronzeada, olhos rasgados, cabelos longos e escuros...
Já ouvi algumas vezes que não tenho o perfil de brasileira.
Ah não?!
E esse beiço caracteriza o que?!
Ainda que eu não tivesse essa boca gigante. E o que são as gaúchas? E as nipônicas e hispânicas? E tantas quanto forem possíveis... Sim, um pedacinho de cada lugar reside no Brasil, nos “Brasis”.
Essa imagem estereotipada é reforçada pelos filmes e perigosamente pelas novelas, porque essas sim são a paixão nacional e forte produto de exportação.
Os portugueses gostam tanto de novelas brasileiras que já incorporaram muitas expressões ao seu vocabulário. E como sempre o que “não presta se aprende mais rápido”...
Ex: gatinha, gostosa, boa, bunda...
E acredite, eles usam largamente o vocábulo. Com as brasileiras, é claro. Porque as portuguesas são intocadas, imaculadas. Esse é outro fator que provoca nos homens portugueses esse desespero pelas brasileiras. As portuguesas segundo eles próprios são muito “fechadas”. Subentende-se que nós somos muito “abertas”?
As mulheres podem até negar gostarem de cantada, mas a maioria gosta. Só que nesse caso é realmente desagradável, pelo menos pra mim que sei o peso dessas palavras ditas pelos portugueses. Não é só um elogio a nossas formas, soa mesmo como grosseria.
Bem de qualquer forma é isso que as nossas produções áudio visuais reforçam. A aBUNDAncia de BOAS. A gostosa que chama atenção por onde passa e que não vive para outra coisa senão DAR prazer. Sim, somos as safadas, boas de cama.
Outro dia numa mesa entre brasileiros e portugueses tive o desprazer de ouvir : “A verdade é que sinto muita pena dessas mulheres ( brasileiras), elas não tem culpa de serem assim (putas)”
PUTA QUE PARIU!!!!!!!!!!
O cara achou mesmo que estava sendo legal com essa frase?!
Eu me senti tão mais confortável e agradecida por essa piedade. ¬¬
Mas a idéia é essa. É como se ser puta estivesse no sangue da brasileira.
E pensar que enquanto aqui somos uma bunda, no Brasil somos o orgulho da família. As filhas que foram estudar na Europa. Será mesmo que os portugas pensam que nós atravessamos o Oceano para conseguir residência permanente? Que nós viemos de tão longe porque o maior objetivo de nossas vidas era sermos putas em Portugal?
Ah tenha santa paciência!!!
Vejam bem, não quero generalizar. Claro que nem todos pensam assim. Mas quero utilizar esse espaço para desabafar, falar de algo que para mim tocou muito forte. Sinto esse clima pesado por onde vou. É como se minha aura de puta pairasse. Sinto isso constantemente.
Não sei se para as outras meninas que convivem comigo é assim. Mas eu senti a necessidade de falar desse preconceito com todas as letras, expor,me expor.  É algo que me incomoda desde que cheguei . É claro que com o tempo a gente aprende a lidar e até fica indiferente.   Tanto é que em momento algum pensei em largar o intercambio por isso.
Por que eu acredito na Maria, Maria que é um dom, uma certa magia... Essa é a minha brasileira. Sei que não é a única, mas é a que eu escolho representar.
E por que iniciei o texto falando da série “As cariocas” ? Por que como a própria música diz : “Ela é carioca, mas é da cor do Brasil”.
A série resume bem o estereótipo da mulher brasileira. Em primeiro lugar por que o Brasil é o Rio de Janeiro. Esse é nosso cartão postal. Em segundo por que a serie mostra a malandragem do carioca, traduzida pela safadeza das belas. Muito sol, shorts curtos, biquíni, praia, bunda. É a carioca representando a mulher brasileira.
Não me agrada ser vista somente por esses atributos. Mas também não me incomoda ser admirada por eles. O que me deixa puta, com permissão do trocadilho, é que as pessoas achem que temos que nos envergonhar por sermos quem somos.
Será que agora teremos que nos sentir culpadas por nossa beleza, alegria. Por rirmos da vida, por rirmos com ela. Por não esquecermos que além de filhas, mães, esposas, irmãs, somos mulheres. Mulheres que querem desfrutar com prazeres da vida, um direito que lhes deve ser dado. Mulheres que acordam cedo. Mulheres que sustentam filhos sozinhas. Mulheres que estudam para melhorar de vida. São as mesmas mulheres que ainda assim não se esquecem da vaidade.
A liberdade e o respeito da mulher não consiste em ser independente financeiramente, ser realizada profissionalmente. Não casar e nem ter filhos antes de outras conquistas. Essa liberdade consiste em escolher que papel quer representar.
Eu represento Gabriela Lago, filha de Vilmar Lago e Elza Ferreira, irmã de Grégory Lago, estudante de jornalismo, solteira, MULHER-BRASILEIRA-BONITA-NÃO-PUTA!

Relações interpessoais!

"Os Melhores" - Minha turma de Mestrado em Ciências do Ambiente - 2010

Bom. Como posso dizer?
Isso não existe aqui em Portugal (pelo menos com os portugueses que conheci).
Digo isso relacionado com as 'amizades' que possivelmente teria que fazer. Sim, teria, pois os meus colegas de turma não se 'enturmam'. E olha que estou cursando disciplinas em dois cursos de mestrados diferentes (Patrimônio, as segundas e terças; e História, as quintas e sextas)! Sou a única brasileira no mestrado de Patrimônio e em História somos, eu e Hermes, que é da Paraíba e claro, meu amigo aqui em Braga.
Sinto falta dos meus amigos do Mestrado em Ciências do Ambiente. Dos conselhos, das cervejinhas, dos abraços, do 'vamos comer uma salada de fruta?', ou simplesmente ficar ao lado um do outro rindo do nada. Sinto falta disso tudo...
Aqui meus colegas mal sabem o nome uns dos outros.
É triste! Sinceramente? Quem perde são eles.
Minhas amizades em Braga se resumem em BRASILEIROS! Claro! E eles que me fazem ficar bem e me sentir 'em casa'.. Tenho a minha amiga pseudo-portuguesa (Helena) que nem vale colocar na balança. E tenho tido mais contato com os romenos, espanhóis e poloneses do que com os próprios portugueses!
Mas também não sinto falta.
Gosto das pessoas que conheci e das amizades que estou nutrindo.
Espero tê-las por muito tempo.
E, pessoal do CIAMB, já que hoje é o dia da 'nossa' confraternização quero que saibam que  ESTOU MORRENDO DE SAUDADE DE VOCÊS!
De verdade e de coração!

Inté!

E os estudos?

Fazendo trabalho com colegas no ICS

A única resposta possível é "Vão bem, obrigada!"
E como está meu processo de pesquisa bibliográfica em Portugal?
As aulas estão ótimas, porém a quantidade de trabalho e obras que temos que ler é imensa. No final deste post disponibilizei as bibliografias que trabalharei em cada uma das disciplinas.
Estamos no meio do semestre e entre os dias 18/12 e 03/01 será nosso recesso de final de ano, que tudo indica que passarei estudando, pois o tempo aqui já está acabando. (50 dias!!)
Nesse fim de semana vou em Coimbra visitar o convento da Rainha Santa Isabel. Em Alenquer, irei no mês de Janeiro para fotografar a igreja e demais obras referentes as comemorações do Divino Espirito Santo.
Estou com quatro disciplinas: Metodologias da Investigação, Temas de História Moderna, Sociedade e Patrimônio e Memória, História e Identidade.
O que venho desenvolvendo em cada uma dessas unidades curriculares:

Metodologias da Investigação: Resolvi fazer essa disciplina de novo, pois o foco aqui na Universidade do Minho é bem mais teórico do que no nosso CIAMB e o prof. Dr. Francisco Mendes pediu para que fizessemos um artigo de até 10 páginas que abordasse o campo em que iríamos trabalhar, nesse caso, a História Oral. Tenho conseguido algumas obras, na sua grande maioria espanholas, e devo entregar esse artigo no final de janeiro. Ele disse que seria como o primeiro capitulo da nossa 'tese' (aqui eles chamam dissertação de tese).

Temas de História Moderna: Dentre outros textos debatidos em sala, houve um tema especifico sobre as festas na época moderna, com todo o processo de ritualização, festas pagãs, religiosas, enfim. Abordamos essa questão de como eram as festas nos séculos 17 e 18 em Portugal e no Brasil. O trabalho final também é um artigo de até 20 páginas, no qual, eu escolhi como tema "as festas". Tenho que fazer uma abordagem geral sobre como eram realizadas nessa época, fazendo um gancho com a realização das festas no Brasil. A responsável por essa disciplina é a prof. Dr. Maria Marta Lobo que já realizou pesquisas sobre algumas festas religiosas em Braga e mostrou-se muito interessada no meu tema. 

Sociedade e Patrimônio: Disciplina dividida em 2 módulos. Já tivemos o primeiro e o segundo só em Janeiro. Discutimos muito superficialmente sobre os conceitos de patrimônio e turismo cultural. Foi interessante para conhecer a área. Como trabalho final temos que entregar um texto entre 6 a 10 páginas contextualizando o conceito de patrimonio, escolhendo alguma manifestação, no meu caso, a festa do Divino de Natividade, para debater como um patrimônio pode ser transformado em produto turístico. A professora responsavel pelo primeiro módulo foi a Dr. Margarida Durães.

Memória, História e Identidade: Essa é uma das disciplinas mais práticas e aborda como captar as histórias de vida por meio de roteiros de entrevistas. Utilizamos a metodologia da Rede Internacional do Museu da Pessoa e os professores (Dr. Jorge Rocha e Dr. Filipa Rodrigues) têm sido bem práticos mesmo. Tudo indica que no final das aulas eles repassarão a bibliografia acerca dos temas de memória e identidade para nós. Estamos aguardando. Ainda não definiram o que será a avaliação, mas já fizemos muitos trabalhos em grupo e individuais.
    No mais, é isso que se passa desse lado do Atlântico.
    Algumas obras que tenho estudado:

    Metodologias da investigação:
    • BERTAUX, DanielLa historia oral: métodos y experiencias. Madrid : Debate, 1993
    • BURKE, PeterFormas de hacer historia. Madrid : Alianza Editorial, imp. 1994.  (Alianza universidad). 
    • LE GOFF, Jacques, NORA, Pierre. Fazer história. vol.3: Novos objectos .Amadora : Bertrand, 1987. - 302 p. 
    • LE GOFF, Jacques. História e memória. Lisboa : Edições 70, D.L. 2000.  (Lugar da história). Vol.1 : História.;  Vol.2 : Memória
    • MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de história oral. 5ª ed.São Paulo: Edições Loyola, 2005 
    • SANDIOCA, Elena Hernandez. Tendencias historiográficas actuales – Escribir historia hoy. Madrid: Ediciones Akal, 2004. 
    • THOMPSON, Paul. La voz del pasado: la historia oral. Valencia : Edicions Alfons el Magnánim, 1988.  (Estudios universitários)
    • VILANOVA, Mercedes. Historia antropologia y fuentes orales. Barcelona: Universitat de Barcelona Publicaciones, 1989
    • VILANOVA, Mercedes. Historia y fuente oral. Barcelona : Universitat de Barcelona Publicaciones, 1989 

    Temas de História Moderna - Festas
    • MILHEIRO, Maria Manuela. Subsídios para a festa barroca. In: Cadernos do Noroeste, nº 4, 1991.
    • MILHEIRO, Maria Manuela. Braga. A cidade e a festa o século VXIII. Braga: NEPS, 2003.
    • LIMA, José. Festa. In: AZEVEDO, Carlos Moreira (dir.). Dicionário de História Religiosa de Portugal. Lisboa: Circulo de Leitores, 2000.
    • MUIR, Edward. Fiesta y Rito em la Europa Moderna. Madrid: Ed. Complutense, 2001.
    • BEBIANO, Rui. Festa. In: Dicionário da Arte Barroca em Portugal. Lisboa: Ed. Presença, 1989.
    • JANCSO, Istvóu; KANTOR, Luis (orgs). Festa, cultura e sociabilidade na América Portuguesa. Vols. I e II, São Paulo: Imprensa Oficial, 2001.
    • MELO, José Marques de. As festas populares como processos comunicacionais: roteiro para o seu inventário no limiar do século XXI. Libero: Ano III, V. 3, n° 6, 2000, p. 56-63.
    • GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008.
    • COSTA, Antonieta. As festas Sanjoaninas e suas origens mais remotas : estudo comparativo documental. Guimarães : NEPS - Universidade do Minho, D.L. 2002.  (Cadernos NEPS). 
    • HOBSBAWN, Eric, RANGER, Terence (orgs). A invenção das tradições. 6ª Ed. Paz e Terra: São Paulo, 2008.
    • BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Prece e Folia, Festa e Romaria. Aparecida, SP: Idéias&Letras, 2010.
    • MAGNANI, José Guilherme Cantor. Festa no Pedaço: cultura popular e lazer na cidade. 3ª Ed. São Paulo: Hucitec/UNESP, 2003.
    • ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano: a essência das religiões. Lisboa, Livros do Brasil, 1956 
    • SANTOS, Claudefranklin Monteiro. A Festa como objeto de pesquisa histórica no campo da religiosidade. In: XII Encontro Sergipano de História. Aracaju, 2008. Disponível em <www.gpcir.sites.uol.com.br/ce/claudefranklin.pdf>. Acesso em 13 de maio de 2010.
    Sociedade e Patrimônio

    • UNESCO (1972), Convention Concerning the Protection of the World Cultural and Natural Heritage. Paris, United Nations Educational, Scientific and Cultural Organisation.
    • UNESCO (2003), Convention for the Safeguarding of the Intangible Cultural HeritageParis, United Nations Educational, Scientific and Cultural Organisation.
    • AGUSTI, B. (2003), Turismo Cultural: Una reflexión desde la ciencia económica. Análises, Portal ibericoamericano de Gestion Cultural (http://www.gestioncultural.com).
    • BALLART, J. (1997), El Patrimonio Historico y Arqueológico: Valor y Uso. Barcelona, Ed. Ariel.
    • BALLART, J. e JUAN- TRESSERRAS, J. (2005), Gestión del Patrimonio CulturalBarcelona, Ed. Ariel, 2ª ed..
    • BELARD, Francisco (2005), Redefinir o Património Cultural. Expresso de 23 de Abril de 2005.
    • CHOAY, Francoise (1999), A Alegoria do Património. Lisboa, Ed. 70.
    • CONNERTON, Paul (1989), Como as sociedades recordam, Lisboa, Celta.
    •  MENESES, José Newton Coelho (2004), História e Turismo Cultural. Ed. Autêntica, Belo Horizonte, Brasil.
    •  VAQUERO, C. M. (2002), La ciudad histórica como destino turístico. Barcelona, Ariel.

    LinkWithin

    Related Posts with Thumbnails