segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Mudanças



Nesse final de semana consegui exorcizar a saudade de ser uma estudante em Intercâmbio: imprimi as fotos e montei o álbum para relembrar dessa época boa da minha vida.
Nunca poderia imaginar que ao ingressar no Mestrado em Ciências do Ambiente viveria tantas experiências fantásticas e conheceria pessoas tão diferentes. Pensar que em março de 2010, tão imatura e com medo de encarar a vida acadêmica, poderia surgir a oportunidade de morar por um semestre em Braga, e estudar em uma das melhores universidades de Portugal: Universidade do Minho.
E que ao voltar, a bagagem acadêmica, cultural e pessoal fosse tão grande que se tivesse que passar pela alfândega, com certeza seria impedida pela Polícia Federal!! (rsrs)
Hoje, morando em Araguaína até minhas amizades são diferentes: todos professores acadêmicos e com uma conversa que vai do lúdico ao profissional em questão de segundos. E tudo começou com meu interesse em saber mais como conseguir dar aulas em uma universidade daqui. Não consegui as aulas, mas ganhei ótimos amigos. Para quê presente melhor?!
Por sinal, muda tudo em sua vida. Conversando com uma amiga 'dos tempos de faculdade' ( Lu do blog "Olho Mágico"), chegamos a conclusão que o gosto por comidas diferentes, roupas, acessórios, músicas, textos e até mesmo os lugares que você frequenta são afetados por essa experiência. Seus horizontes ampliam-se tanto que você não consegue voltar... Já dizia Albert Einstein!
 "A mente que se abre a uma nova ideia jamais volta ao seu tamanho original." — Albert Einstein.
Nesse momento, estou às voltas com a finalização da dissertação. Quero finalizar esse ciclo e começar outros! O Mestrado foi mais que uma experiência, foi sim e sempre será, um aprendizado pelo resto da vida. Ele me proporcionou conhecer e atrair pessoas interessantes e diferentes que me ensinaram a cada dia ser uma pessoa melhor e não me preocupar muito com coisas tristes e que só me machucarão...
Voltando o pensamento ao ano de 2009, só tenho à agradecer pela confiança dos professores do CIAMB, e principalmente, por minha orientadora acreditar no meu projeto de pesquisa (recusado por outras instituições). Valeu a pena lutar pela Universidade Federal do Tocantins - participei das greves e manifestações pela federalização, ainda uma simples estudante do Ensino Médio -, pois foi nela consegui colher frutos de anos e anos na academia.
Que venha 2012. Que termine essa dissertação logo...
E, que não tenha tempo livre e que possa tocar todos os projetos com garra e profissionalismo!
=D

Nenhum comentário:

Postar um comentário