sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

A pele que habito (com spoilers)


Assisti o filme de Almodóvar: A pele que habito..
Estranho. Muito estranho..
Mas, um Almodóvar!
Algumas coisas me incomodaram, principalmente o fato dele deixar claro que: vaginas são objetos de uso e pronto. Assim, à grosso modo, foi a mensagem que entendi.
E já saquei o final logo de cara...
De cara, não. Na verdade, quando ele aprisiona o tal do Vicente.
E, daí sim, faz sentido a presença da 'cobaia' e o tal 'jeitinho' do Vicente com os manequins da loja de sua mãe... Sensibilidade MODE ON.
Mas a sensação na cena final do filme é daquelas do tipo que gera aquela olhadinha para o lado e um sorriso sarcástico: "puft, já sabia."
Gostei da fotografia do filme.. Dos closes típicos do Almodóvar, além da iluminação.
Li algumas críticas bacanas de sites especializados, como o que li no Pensar Libre onde:
"De hecho, La piel que habito sólo adquiere sentido cabal desde su final, es decir, desde el momento en que Vera Cruz (Elena Anaya) regresa a la tienda de modas de su madre (Susi Sánchez) y le dice a su ayudante Cristina (Bárbara Lennie): “Soy Vicente”.
Não amei, gostei do filme.
Enfim, na minha opinião: previsível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário