domingo, 27 de janeiro de 2013

E quando é que começamos ser Mãe?

Desabafo antes de dormir, acordar e ir receber o Pedro!


Amanhã cedo é o dia de receber meu filho nos braços...
Taí algo que nunca imaginei: um filho.
Ok. Imaginar a gente imagina, mas não desejava.
Hoje, não consigo não pensar na minha vida sem ele.
E, sinceramente, ela seria muito sem graça e sem propósito sem o Pedro.
Como a cesárea será amanhã, sim, será cesárea, pois já passou do período, já perdi líquido e o cordão já deu uma volta no pescoço do meu pequeno. Por isso, optamos pela cesárea. Eu não queria, preparei meu psicológico todo para ter parto normal e jamais passava por minha cabeça ter que fazer uma cirurgia.
Enfim, se for para o bem do meu filhote, faremos a cirurgia.
As pessoas me perguntam sobre a expectativa. Cara! Eu não consigo dormir há alguns dias e não consigo parar e pensar como será isso tudo.
Na verdade, dá sim, uma vontade enorme de chorar. Um medo infinito. Sensação de não vou conseguir. E uma súplica de "segura a minha mão e não solta mais por favor".
Ansiedade. Desespero. Insegurança. Alegria. Receio. Coração acelerado. Tremedeira. Suor frio.
E vem a célebre pergunta: Quando é que começamos a ser mãe?
Por mais que você carregue ele na barriga por 9 meses, não é a mesma coisa. Agora a semetinha se tornará algo palpável e ALI na sua frente! Isso é muita loucura!
Me tornei mãe, ou melhor, nos tornamos pais quando resolvemos em julho: é, mas ter esse filho? Não sei. não havia esse sentimento, como, desculpem-me, mas ainda não há! Ele mexe, revira e faz tudo, mas eu não me sinto mãe. E acredito que o pai dele também ainda não se sente pai. O que eu sinto é medo.
Um responsabilidade do caralho vem por aí.. um ser vivo, um pedaço meu e dele, que formou algo nosso e um amor incondicional (vamos descobrir o quê é isso agora) também. Pedro é fruto de algo muito bonito.
Ele não pode ficar o tempo todo aqui na barriga? Juro que já passei 9 meses com ele e já sei como cuidar: a posição que ele gosta que eu durma, os chutes, os soluços.. enfim. Já sei como cuidar dele dentro de mim. Agora fora.. Meu Deus me ajuda!
Dizem que ele será meu amor maior. Não duvido. Não duvido nunca.
Quero ser uma boa mãe: equilibrada, serena e justa.
Ai! Quero chorar!
E nem dá para pedir colo para minha mãe, porque eu também sou mãe.. (aliás, posso sim.. rsrs)
Fico pensando no que tenho que organizar do trabalho e tanta coisa pendente. Não consigo desligar.
Não consigo e pronto. Não gosto de deixar as pessoas na mão.
Se eu for pelo menos 80% mãe como sou com meu trabalho, coitado do Pedro.. mamãe grude!
Mas penso no trabalho para não pensar na chegada do Pedro. Deve ser isso..
Turbilhão de emoções.. um novo tempo começa agora.
De fato, de direito e de corpo presente! Meu filho nasce amanhã: 28 de janeiro de 2013.
E como será o rostinho dele? Olhos lindos do papai? Sorrisão da mamãe? Cabelos negros ou claros?
Só de imaginar aquele momento mágico em que a enfermeira traz ele para sentir o cheiro da mamãe sinto uma onda de amor intenso. Será que ele vai abrir os olhinhos? Vai continuar chorando quando chegar perto de mim? E amamentar?!! Vai doer que eu sei.. mas mãe suporta tudo né?
Não sei se estou preparada para ser mãe, a gente nunca sabe...
Sei que o pai dele (Otávio) também está com essas coisas todas na cabeça.
Nossas vidas não serão mais as mesmas...
Nosso pequeno está chegando para trazer felicidade e muito amor.. muito amor.
Isso eu ainda tenho certeza.
Ainda bem!

Um comentário:

  1. Ai, chorei!! Bom parto!! Estaremos (eu e Philipe) mandando boas vibrações no momento do parto!!! bju

    ResponderExcluir