terça-feira, 23 de setembro de 2014

Sempre MÃE... (em busca da sensatez)


Fechamento de ciclo.
Acontece com todo mundo. Bom, nem com todo mundo, pois algumas pessoas insistem em viver na inércia. E nada mais natural do que no final do ano, pararmos, analisarmos e decidirmos o quê queremos para nossa vida nos próximos anos. Eu, por exemplo, quero paz no meu coração e sossego na minha vida. Ok. Todo mundo diz isso, mas o que é esse ideal de vida. E para piorar: o quê isso têm haver com maternidade.
_ Tudo!  Meu querido... Tudo!
Um dos maiores benefícios que a maternidade me proporcionou foi a sensatez, embora eu tenha sido mais insensata nos últimos tempos do que de costume. Foi a influência do ambiente em que eu trabalhei. Enfim, ser sensato não é fácil e com relação ao trabalho, eu não sou e confesso numa boa. Porém, na minha vida íntima e particular sou tão sensata, tão sensata que chego a dar sono. Fico esperando o momento certo, mantenho o equilíbrio e agindo sempre com bom senso. E chega disso!
Só que, em 2015, eu quero trazer a sensatez para minha vida profissional também. Aliás, quero me inundar na sensatez, porque se me fez ser uma pessoa tão boa na maternidade, sendo dura quando tenho que ser e amável nos momentos certos, é porque esse é o ideal de vida que quero: ser sensata.
Por quê esse blábláblá todo?
Porque estou me despedindo da Revista JFashion como colunista e também da área de comunicação. Confesso que trabalhar em Araguaína foi enriquecedor e ao mesmo tempo a causa da minha frustração enquanto Jornalista (sim, diplomada!), pois os "profissionais da comunicação" que aqui atuam, acreditam que pelo fato de, eu ter um diploma, estou ofendendo os demais que não tem. Sofro bullying por ser jornalista com diploma e por ter mestrado! Gente, que lugar é esse?! Façam como eu, vão estudar. Privem-se de algumas coisas e vão realizar seus sonhos profissionais, mas não de qualquer jeito. Estudem. Informem-se. Informação não é brinquedo ou arma para negociação.
Agradeço pela confiança e pelo espaço meu querido Jotta e agradeço às leitoras da revista pelo carinho (que eu sei que gostam de ler a coluna), mas continuarei apenas com meu blog (como sempre tive), com meus desabafos e desvaneios online.
Reforço que essa tal maternidade trouxe algo único que foi o autoconhecimento. Ler e procurar assuntos relevantes para todas vocês, com um toque de humor e sentimentos exacerbados, foi enriquecedor e divertido. É tão bom compartilhar sensações e sentimentos que só nós, mamães, entendemos. Mas,vou fazer isso da maneira natural e mais "normal" possível, sem muitas expectativas e só no meu mundo: mãe, filho e família.
Poderia continuar escrevendo? Até poderia, porém não quero mais a exposição que uma coluna traz.
Em 2015 quero me preocupar com as coisinhas do dia a dia e meu filhote. Só no meu blog, que está lá há mais de 7 anos, nunca incomodou ninguém e eu posso colocar palavrão! Brincadeira.. Abraços e hasta la vista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário