Disponibilidade virtual de cada dia..

Algo que me irrita nas redes sociais é a disponibilidade das pessoas em nossas vidas.
Você conhece alguém e pronto: tem o perfil dela no Instagram, Facebook, Twitter e tralala, além do WhatsApp e seu status.. e ainda tem o stories.
Você acompanha a vida dela.. ela acompanha a sua e ficamos nisso, de visualizações em visualizações.. e só!
Cadê aquela parte boa de "antigamente" em que você conhecia a pessoa e por uma ajuda do destino, toparia com ela novamente?
Cadê a não obrigação de ter contato de alguém ou participar de algum grupo, de uma era da sua vida bem distante, que você não quer mais viver ou relembrar?
Porque tem gente que eu não queria ter que saber da vida porque não meu interessa mesmo, mas tá lá, me adicionando porque estudamos no mesmo colégio nos anos 2000.
Sinto falta de fazer falta, pois se estamos todos disponíveis a um clique,  não sentirão nossa falta. É só procurar fulano e mandar uma mensagem.
Amores, amizades, familiares... Todos no mesmo balaio.
Eu adorava conhecer gente e depois sequer saber da vida delas. Cada um que havia passado no meu caminho tinha contribuído de alguma forma. Se ficou amigo e permaneceu assim: ótimo. Se não, ótimo também.
Perdeu-se a magia de viver intensamente o momento, conhecer a pessoa, conversar com a pessoa, trocar umas cartas ou umas mensagens (não sejamos tão analógicos) e seguir a vida sem a necessidade de saber o quê se passa na vida da outra pessoa.
Fulano que você topou em uma festa e pá: você sabe da vida toda da pessoa. E sem contar que agora você é obrigado a conviver virtualmente com aqueles seus parentes que você só encontrava nos feriados, principalmente no Natal, e gostava deles, pois todos estavam ali dispostos a não falar bobagem e serem gentis, pois há muito tempo não te viam.
Mas agora, esses mesmos parentes, não são tão legais assim.
A proximidade mostra os defeitos e a distância ativa as qualidades. E nisso, ninguém anda com muita paciência com ninguém. Quem era muito engraçado, vira o chato que faz graça com todas as situações.
Quem era seu melhor amigo, vira um mero desconhecido.
Essa disponibilidade oferecida pelas redes sociais fez com que perdessemos aquele velho costume de encontrar alguém (até porque ninguém sai mais junto) e perguntar: "Nossa, quanto tempo! Que bom te ver. Como você tem andado? Tá morando onde?"
Não, não existe mais isso.
Tá bem chato ter "amigos/parentes" hoje em dia. Não dá tempo de sentir saudade de ninguém e nem de ficar curioso. Todo mundo tá informando o quê anda fazendo. E já que sabemos o quê andam fazendo, não precisamos perguntar. E, ninguém conversa com ninguém. A amizade apenas morre, não dá saudade.
E a gente finge que tá tudo bem, mas não está.

Comentários

Postagens mais visitadas